Eleições nos EUA

Há uma perceção de que as sondagens acabam por não estar a ser realistas

Ricardo Vasconcelos, professor na Universidade de San Diego, na Califórnia, diz que se vive uma realidade dupla e de alguma ambiguidade nos EUA.

Se por um lado, as sondagens nacionais indicam uma vantagem esmagadora para Joe Biden, do partido democrata, por outro lado, os estados que realmente têm a tradição de mudar um pouco o seu voto, e que acabam por ser os estados que acabam com as dúvidas, porque são aqueles que definem a contagem dos votos do Colégio Eleitoral, estão numa situação de dúvida.

Os estados que vão definir a eleição talvez sejam a Pensilvânia, o Wisconsin e a Florida. Em todos eles, neste momento, segundo as sondagens, Joe Biden está a ganhar.

Há, no entanto, uma perceção de que as sondagens de alguma maneira acabam por não estar a ser realistas, pelo menos no que diz respeito à vantagem dos democratas.

Num período em que todos estão desgastados devido à pandemia, aliás estas eleições vão ser marcadas pela pandemia, e em que os americanos estão ansiosos para que o processo eleitoral termine para saberem quem é o presidente, é bastante improvável que, na noite das eleições, se saiba quem vai ganhar.

Veja o testemunho completo de Ricardo Vasconcelos no vídeo.

Acompanhe o especial Eleições nos EUA

VEJA TAMBÉM:

O pavio está curto em todo o lado e as opiniões saem em forma de labaredas

Não sei que país vou ter quando acordar na quarta-feira

"Este é um país profundamente dividido neste momento"

Ver a influência que Trump teve na promoção da desconfiança na ciência tem sido desolador

O país precisa de um presidente apaziguador pois o futuro não se avizinha fácil

"Estou a viver isto com muita preocupação"