Crise nos combustíveis

ANTRAM diz que sindicato dos motoristas recusou mediação

À saída do Ministério das Infraestruturas, André Matias de Almeida, da ANTRAM, garante que o Sindicato dos Motoristas das Matérias Perigosas não está disposto a chegar a acordo com os patrões.

Aos jornalistas, André Matias de Almeida esclareceu que não foram colocadas restrições à mediação, e que os patrões estavam disponíveis para alargar amplamente as “balizas” da mediação.

“Hoje deixámos aqui um documento de manhã onde abríamos quase tudo à mediação. Fomos chamados para informar que o sindicato não aceita o processo de mediação, quer impor condições (…). O que aconteceu não passou de mais um número que lamentamos profundamente”, revelou, afirmando ainda que o sindicato terá agora que explicar ao país o motivo da recusa.

Portugal deixou de estar em crise energética, devido à greve de motoristas de pesados, desde as 00:00 de hoje, acabando os limites ao abastecimento de combustível.

O Governo aprovou na segunda-feira, em reunião eletrónica do Conselho de Ministros, o fim da crise energética declarada há 10 dias devido à greve de motoristas de pesados, a partir das 23:59 desse dia.

No domingo, o SNMMP decidiu, em plenário, desconvocar a greve, que se iniciou no dia 12.

A paralisação foi inicialmente convocada pelo SNMMP e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), mas este último desconvocou o protesto na quinta-feira à noite, após um encontro com a Antram sob mediação do Governo.