Coronavírus

Profissionais de saúde fizeram mais de 17 milhões de horas extra

Um aumento exponencial em relação a 2019.

Saiba mais...

Os profissionais de saúde acumularam, até setembro, mais de 17 milhões de horas extraordinárias. Médicos, enfermeiros e assistentes operacionais queixam-se de exaustão física e psicológica.

Desde o primeiro caso de covid-19, em março de 2020, que os profissionais de saúde nunca mais tiveram descanso. Além disso, o número de horas extra aumentou exponencialmente.

De acordo com o Jornal de Notícias (JN), os médicos, enfermeiros e assistentes operacionais fizeram entre de janeiro e outubro mais de 17 milhões de horas extra, o que representa uma aumento de seis milhões em relação a 2019.

Exaustos, os profissionais de saúde não veem com bons olhos os incentivos do Ministério da Saúde, presentes no Orçamento do Estado para 2022, destinados a quem fizer mais horas extra.

Horas extra deveria implicar descanso extra, mas ninguém sabe se poderá vir a gozá-lo. Entre janeiro e setembro, os profissionais de saúde gozaram pouco mais de 6.600 dias de férias, ou seja, menos de metade do que em igual período de 2019.

De acordo com JN, que cita dados do portal do SNS, as ausências por doença aumentaram 44% este ano. Médicos, enfermeiros e auxiliares estiveram de baixa 634.000 dias.

► Veja mais: