Coronavírus

Portugal avança para a última fase de desconfinamento

TIAGO PETINGA

Conheça as medidas e saiba em que situações é obrigatório o certificado de vacinação e o uso de máscara.

Saiba mais...

O primeiro-ministro anunciou esta quinta-feira que o país está "em condições de avançar" para a terceira e última fase do desconfinamento e adiantou que, na próxima semana, deverá ser atingida a meta de 85% da população com a vacinação completa.

"Estamos agora em condições de poder avançar para a terceira fase" do plano de alívio das restrições impostas para controlar a pandemia que começou a ser implementado a 1 de agosto, referiu António Costa, em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros.

Segundo disse, neste momento, Portugal tem uma taxa de vacinação completa de 83,4% da população.

"De acordo com as previsões da task force, ao longo da próxima semana é previsível que alcancemos a taxa de vacinação que tínhamos fixado como objetivo de 85% da população portuguesa vacinada", adiantou António Costa.

Segundo os dados comparativos internacionais, Portugal está em "primeiro lugar na percentagem de população com vacinação completa, bastante à frente de vários outros países nossos vizinhos da Europa e também de outros países do mundo", avançou ainda o primeiro-ministro.

TIAGO PETINGA

O primeiro-ministro anunciou que Portugal Continental vai passar a estar em situação de alerta a partir de 1 de outubro.

António Costa anunciou as seguintes medidas, que vão entrar em vigor na mesma data:

  • Abertura de bares e discotecas com certificado digital;
  • Fim dos limites de horários;
  • Restaurantes sem limite máximo de pessoas por grupo;
  • Fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local;
  • Fim dos limites de lotação, designadamente para casamentos e batizados, comércio e espetáculos culturais.

O certificado digital de vacinação é exigido em:

  • Viagens por via aérea ou marítima;
  • Visitas a lares e estabelecimentos de saúde;
  • Grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos;
  • Bares e discotecas.

O uso de máscara é obrigatório em transportes públicos, lares, hospitais, salas de espetáculos, eventos e grandes superfícies.

TIAGO PETINGA

O primeiro-ministro referiu que as máscaras não são obrigatórias nos recreios das escolas.

"Quanto ao ano letivo, o Conselho de Ministros tomou a decisão de clarificar que o uso de máscara não é obrigatório nos espaços exteriores das escolas, designadamente nos recreios", disse António Costa.

O primeiro-ministro avançou também que a Direção-Geral da Saúde vai atualizar, nos próximos dias, as normas sobre o confinamento, que vão permitir "responder a problemas que ainda têm subsistido" em relação "ao isolamento de pessoas que estão vacinadas e tendo em conta o risco efetivo da transmissão da doença entre população escolar".

TIAGO PETINGA

Consulte aqui o comunicado do Conselho de Ministros