Coronavírus

Vacina russa CoviVac "com eficácia superior a 80%"

As vacinas russas Sputnik-V, CoviVac e EpiVacCorona

Tatyana Makeyeva / Reuters

É a terceira vacina contra a covid-19 desenvolvida na Rússia.

Saiba mais...

A terceira vacina contra a covid-19 desenvolvida na Rússia, CoviVac, tem uma eficácia superior a 80%, segundo dados preliminares do ensaio clínico de fase 3, avança a agência russa Interfax.

Desenvolvida pelo Centro Chumakov, a CoviVac poderá ter uma produção seis vezes maior que as previstas inicialmente 10 milhões de doses por ano.

"A eficácia da vacina ultrapassa 80% e a fase final dos testes ainda não acabou", segundo o Centro Chumakov.

Em maio, esta instituição científica financiada pelo Estado disse à Interfax que a terceira fase dos testes clínicos da vacina contra o coronavírus CoviVac deveria começar em junho.

A Rússia tem três vacinas contra a covid-19 de produção própria: a Sputnik V, a EpiVacCorona e a CoviVac, todas compostas por duas doses, além da Sputnik Light, de dose única

Vacinas contra a covid-19: as que estão a ser usadas e as que estão a caminho

Em menos de um ano desde que foi declarada a pandemia foram desenvolvidas várias vacinas em laboratórios por todo o mundo. A primeira vacina a obter autorização de emergência para inoculação foi a da Pfizer e BioNTech. O Reino Unido foi o primeiro país a aprovar esta vacina e a iniciar a campanha de vacinação, em dezembro de 2020.

Mais de 3,5 milhões de mortos no mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.551.488 mortos no mundo, resultantes de mais de 170,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito sexta-feira pela agência noticiosa francesa AFP.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

A grande maioria dos pacientes recupera, mas uma parte evidencia sintomas por várias semanas ou até meses.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global