Coronavírus

Celebrações da peregrinação de maio ao Santuário de Fátima com limite de 7.500 pessoas

PAULO CUNHA

Pandemia "ainda não oferece garantias" para acolher "sem reservas" todos os fiéis.

Saiba mais...

As celebrações da peregrinação de 12 e 13 de maio no Santuário de Fátima vão ter um limite de 7.500 pessoas, anunciou hoje a instituição, que considera que a pandemia "ainda não oferece garantias" para acolher "sem reservas" todos os fiéis.

Numa informação disponibilizada no seu sítio na internet, o santuário refere que a peregrinação internacional aniversária de maio, presidida pelo cardeal José Tolentino de Mendonça, "volta a ser celebrada com peregrinos no recinto de oração, mas de forma ainda restrita, isto é, apenas poderão estar nas celebrações 7.500 peregrinos".

O acolhimento será idêntico ao da peregrinação de 12 e 13 de outubro.

Segundo a mesma informação, "em articulação com as autoridades de saúde", o santuário garante, de novo, "o acolhimento dos peregrinos em total segurança", com a aplicação das regras em vigor no contexto de pandemia de covid-19 em todas as celebrações, como o uso obrigatório de máscara, o distanciamento físico e a higienização das mãos.

As entradas no recinto processam-se por oito locais, devidamente assinalados, nos lados norte e sul do santuário.

"Nas entradas estarão acolhedores, com dispensadores de álcool gel, que indicarão os lugares para onde deverão seguir os peregrinos que se devem manter no mesmo sítio durante as celebrações", adianta.

Já no interior do recinto "haverá, igualmente, acolhedores para acompanhar os peregrinos", esclarece o santuário, sendo que "os espaços ao longo do recinto estão assinalados por círculos e em cada um poderão ficar apenas peregrinos que pertençam ao mesmo agregado".

Por outro lado, durante as celebrações, "para evitar movimentação dos peregrinos no recinto que comprometam a manutenção do distanciamento físico, as zonas da Capelinha das Aparições e do queimador das velas estarão vedadas".

Na Capelinha "apenas poderão estar os intervenientes em cada uma das celebrações" e a comunhão vai ser distribuída no lugar, sendo o ministro a deslocar-se até cada um dos fiéis.

O Santuário de Fátima salienta que "a saúde está acima de tudo e, por isso, este maio ainda não poderá acolher todos quantos gostariam de estar presentes" nesta peregrinação, 104 anos após os acontecimentos na Cova da Iria.

De acordo com a mesma informação, as celebrações serão transmitidas através dos meios de comunicação social e digital, acrescenta o templo.

"O santuário apela, uma vez mais, aos peregrinos que tão responsavelmente têm seguido as suas orientações, que possam neste mês de maio, de novo, corresponder às exigências do atual momento que, apesar de ser melhor, ainda não oferece garantias para Fátima acolher sem reservas e precauções todos os peregrinos que habitualmente se deslocam à Cova da Iria nesta data, provenientes de todos os lugares do mundo", justifica.

Devido à pandemia de covid-19, em 2020, a peregrinação internacional de maio ao Santuário de Fátima, no concelho de Ourém (Santarém), realizou-se sem peregrinos, o que aconteceu pela primeira na sua história.

Já na peregrinação de outubro não foi atingido o limite de 6.000 pessoas que tinha sido estipulado.