Coronavírus

Covid-19. Intensivista João Gouveia diz que é prematuro começar a desconfinar

O presidente da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos lembra que há metas que ainda têm de ser cumpridas antes de aliviar as medidas.

Saiba mais...

Apesar da redução do número de mortes e de novos infetados pelo novo coronavírus, o presidente da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos (SPCI) considera que é prematuro começar um desconfinamento. O médico João Gouveia acredita, no entanto, que até ao final do mês de março podem estar criadas as condições para iniciar o alívio das medidas.

Desde o final de janeiro que a redução tem sido constante: na semana passada, a média de novos casos regressou aos níveis de outubro de 2020. Esta segunda-feira, estavam internados 469 doentes covid-19 em cuidados intensivos, quando há um mês eram 865.

Apesar de haver uma menor pressão nos hospitais portugueses, João Gouveia lembra que há ainda uma série de metas que ainda é preciso alcançar e só quando os critérios forem cumpridos é que pode haver um desconfinamento.

O presidente da SPCI acredita, no entanto, que o desconfinamento poderá começar até ao final do mês.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo