Coronavírus

Covid-19. Certificado “não é carimbo que as pessoas não possam continuar a transmitir a infeção”

Entrevista SIC Notícias

Jorge Atouguia, médico infecciologista e presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina do Viajante, em entrevista à SIC Notícias.

Saiba mais...

A Comissão Europeia vai avançar este mês com uma proposta legislativa para criar um passaporte digital de vacinação. Este certificado poderá não só atestar que uma pessoa foi vacinada, mas também que fez um teste que deu negativo, ou ainda que já teve a doença e ficou imune.

Jorge Atouguia lembra que a maior parte das vacinas que os viajantes fazem para determinados locais do mundo fazem parte do regulamento internacional de saúde pelo que, no caso da covid-19, poderá exigir-se a obrigatoriedade de vacinação para entrar em certos países.

“As pessoas que querem entrar em determinados países vão ter obrigatoriamente de fazer a vacina. Se não o fizeram, não poderão entrar sem justificação médica suficientemente forte”, explica.

Apesar disso, o médico informa que o passaporte de vacinação “não é um carimbo” que diga que as pessoas não continuam a transmitir a infeção, até porque o facto de estar vacinado ou já ter sido infetado “não nos coloca como elementos neutros em termos de transmissão”.

“Se viajarem para um local onde é prevalente outra variante, eventualmente podem trazer para o seu país de origem essa outra variante”, conclui.