Coronavírus

Estruturas de Apoio de Retaguarda à covid-19 têm 150 doentes internados

Sérgio Campos

Sérgio Campos

Repórter de Imagem

Governo alargou valências destes espaços e permite que passem a receber também doentes não covid em convalescença.

Saiba mais...

O Governo vai permitir que as Estruturas de Apoio de Retaguarda à COVID-19 recebam também doentes não covid, em convalescença.

Estes espaços, vinte já estão a funcionar para já em todo o país, têm ajudado a aliviar a pressão sobre os hospitais. Têm, neste momento, internadas cerca de 150 pessoas, doentes positivos à covid-19, que tiveram alta hospitalar, mas que não têm condições de regressar a casa.

A Estrutura de Apoio de Retaguarda de Vila Maior, em Santa Maria da Feira, abriu portas e 21 camas no início de dezembro. Num mês e meio, já acolheu 33 doentes. Nesta quinta-feira tinha 11, dois deles acabados de chegar.

Esta semana, o Governo alargou as valências destas estruturas para reforçar a capacidade de resposta no combate à pandemia e passou a permitir que recebam também doentes não covid com alta hospitalar, mas em convalescença.

A rede nacional de Estruturas de Apoio de Retaguarda a doentes covid ajuda a aliviar a pressão nos hospitais. Há neste momento 20 operacionais, com capacidade máxima para acolher cerca de dois mil doentes.

Dessas 20, onze têm atualmente instalados um total de cerca de 150 utentes.

A rede vai ser alargada até 28 estruturas, com capacidade para 2.300 camas.