Coronavírus

Empresários da restauração em greve de fome: "A fraqueza já se começa a sentir"

Temem-se algumas falências físicas nas próximas horas.

Especial Coronavírus

Nove empresários da restauração, bares e discotecas estão há quatro dias em greve de fome e a dormir à porta da Assembleia da República, em Lisboa.

À SIC, garantiram que só abandonarão o protesto quando forem recebidos pelo primeiro-ministro, António Costa, ou pela ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

Depois de 70 horas em greve de fome, as fraquezas já se começam a sentir, desde tremores no corpo até dores no estômago.

Alguns populares que passam pelo protesto têm deixado mensagens de solidariedade e de força.