Coronavírus

Escolas fechadas. Pais não vão receber se faltarem ao trabalho nas vésperas de feriados

Especialistas dizem que dias devem ser remunerados.  

Especial Coronavírus

Com as escolas fechadas nas pontes dos dias 30 de novembro e 7 de dezembro, os pais poderão faltar ao trabalho com falta justificada. No entanto, não serão remunerados.

A questão levantada pela suspensão das aulas nas vésperas dos feriados - uma das medidas para controlar a propagação da covid-19 - é vista de forma diferente por alguns advogados, que consideram que os pais de menores de 12 anos têm direito a um apoio excecional à família.

Para trabalhadores de empresas privadas que não sigam a recomendação do Governo e decidam estar abertas, ter dias de férias só será possível com um acordo.

A função pública terá tolerância de ponto. Quanto ao setor privado, a SIC contactou o Ministério do Trabalho que disse não ter, de momento, qualquer resposta para dar.

As escolas, creches, jardins de infância e ATL do ensino público encerram nas pontes de 30 de novembro e 7 de dezembro.

Suspensão das aulas antes dos feriados "vai ajudar apenas os pais que trabalham na função pública"

O presidente da CONFAP - Confederação Nacional das Associações de Pais - diz que a tolerância de ponto anunciada pelo Governo vai ajudar apenas os pais que trabalham na função pública.

É a reação a uma das medidas anunciadas ontem pelo primeiro-ministro que suspende as atividades letivas nos dias que antecedem os dois próximos feriados.

Colégios insistem em dar aulas não presenciais nas vésperas de feriados

Depois da Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP) ter anunciado que alguns colégios iam manter o ensino à distância, fonte do Governo esclarece que o decreto de renovação do estado de emergência é claro e define que ficam suspensas atividades no setor público, privado e social.