Coronavírus

Covid-19. Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa está à beira da rutura

Construído para cerca de 300 mil utentes, serve meio milhão de pessoas de 12 concelhos, três dos quais estão em semi-confinamento: Felgueiras, Paços de Ferreira e Lousada.

Especial Coronavírus

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa está à beira da rutura. Neste momento é o hospital do Norte com maior número de doentes internados por Covid-19.

O ponto de rutura é atingido quando falta espaço para acomodar todos os doentes. Já mais de 40 doentes com covid-19 tiveram de ser transferidos para outros hospitais. Atualmente, estão internadas 150 pessoas infetadas com o novo coronavírus, mas por falta de espaço 30 estão numa área onde não era suposto estarem.

Atinge-se também o ponto de rutura quando a afluência às urgências ultrapassa as 800 pessoas num só dia.

A pressão no Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa é de tal ordem que há médicos a pedir escusa. Os profissionais queixam-se da falta de condições de trabalho, agravada pela escassez de recursos humanos.

A SIC pediu uma uma entrevista à administração do hospital, mas a resposta foi negativa. Em vez disso, enviou um comunicado onde reconhece que enfrenta dificuldades, como todas as unidades de saúde e onde garante que tudo tem sido feito para minorar os problemas e encontrar medidas adicionais de resposta à pandemia.

A situação já foi exposta à ministra da Saúde.

Veja também: