Coronavírus

Número de mortes por Covid-19 pode duplicar no próximo ano, avisa a OMS

Denis Balibouse

Organização Mundial da Saúde diz que não se pode esperar pelo aparecimento de uma vacina.

Especial Coronavírus

A Organização Mundial da Saúde afirmou hoje que não se pode esperar pelo aparecimento de uma vacina para conter a pandemia da Covid-19, admitindo que o número de mortos poderá duplicar durante o próximo ano e atingir dois milhões.

Numa conferência de imprensa a partir da sede daquela agência das Nações Unidas, em Genebra, o diretor do programa de emergências sanitárias da OMS, Michael Ryan, foi questionado sobre a possibilidade de o número de mortos, (atualmente próximo de um milhão de pessoas), duplicar no próximo ano e admitiu que "infelizmente, é muito provável", se não se usarem a ferramentas já conhecidas para conter os contágios.

"É certamente um número inimaginável, mas não é impossível", referindo que em nove meses de pandemia morreram mais de 984 mil pessoas e que a perspetiva de ter uma vacina, que precisa, primeiro que tudo de ser descoberta e que requer depois "financiamento, distribuição e aceitação" não pode ser o que determina as ações contra a Covid-19.

Michael Ryan

Michael Ryan

POOL New

O conselheiro do secretário-geral da OMS, o americano Bruce Aylward, afirmou que "não se pode estar à espera" de uma vacina, indicando que se fizeram progressos desde o aparecimento da doença, nomeadamente na redução da mortalidade.

Bruce Aylward

Bruce Aylward

Denis Balibouse

Estamos a assistir a uma lenta redução na taxa de letalidade dos casos clínicos. Os médicos estão a utilizar melhor os tratamentos com oxigénio, a medicina intensiva, [medicamentos como] a dexametasona", referiu Mike Ryan.

"Um milhão é um número terrível e temos que refletir nisso antes de pensarmos num segundo milhão. Há muita coisa que pode ser feita para salvar vidas", salientou, questionando se a comunidade internacional está "preparada para fazer o que é preciso".

Vigilância, testagem, rastreio de contactos, gestão de riscos e investimentos em terapias e na investigação de vacinas são algumas dessas ações, enunciou.

PORTUGAL REGISTA MAIS 5 MORTES E 899 CASOS

A Direção-Geral da Saúde anunciou esta sexta-feira a existência de um total de 1.936 mortes e 72.055 casos de Covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.931 para 1.936 , mais 5 do que na quinta-feira. O número de infetados aumentou de 71.156 para 72.055, mais 899.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais 36 internamentos, aumentando para 624 o número de pessoas com covid-19 internadas nos hospitais, enquanto foi registado um aumento de um utente nos cuidados intensivos, num total de 86.

De ontem para hoje recuperaram 327 doentes, pelo que 47.003 pessoas já superaram a infeção desde o início da pandemia em Portugal.