Coronavírus

Aluno de risco continua à espera que a escola lhe diga como vai ter aulas

Despacho do Governo definiu condições especiais de avaliação e de frequência escolar.

Especial Coronavírus

O ano letivo já começou, mas ainda há alunos de risco que aguardam que as escolas digam como vão proceder para cumprir as orientações do Governo para estes casos.

A SIC teve conhecimento de uma situação em que a mãe de um aluno continua à espera que o estabelecimento de ensino lhe diga como é que o filho vai ter as aulas.

Frequenta o oitavo ano numa escola da área metropolitana de Lisboa. A mãe, que quer permanecer no anonimato, diz que na escola do filho o ano arrancou no dia 17, mas até agora ainda não obteve indicações de como serão dadas as aulas.

São considerados alunos de risco todos aqueles que se encontrem impossibilitados, por motivos de saúde, de assistir às atividades letivas presenciais em contexto de grupo ou turma. Para estes casos, o Governo, através de despacho, definiu condições especiais de avaliação e de frequência escolar.

A aplicação destas orientações compete às escolas face à situação de cada aluno.

A SIC contactou o Ministério da Educação para saber se tinha conhecimento de situações de alunos de risco que ainda não estão a ter apoio das escolas para acompanhar as aulas, ou se tinha recebido alguma queixa de algum estabelecimento de ensino que tenha manifestado incapacidade para dar resposta a casos de alunos de risco. Até agora não obtivemos resposta.