Coronavírus

Portugal com 3 mortes e 157 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Rafael Marchante

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta segunda-feira a existência de 1.759 mortes e 52.825 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.756 para 1.759 , mais 3 do que no domingo. Já o número de infetados aumentou de 52.668 para 52.825, mais 157.

Em termos percentuais, nas últimas 24 horas, o aumento no número de casos confirmados foi de 0,29% (de 52.668 para 52.825) e o de mortos representou 1,9%.

O número de pessoas internadas é de 374, mais 8 do que no domingo, e nos cuidados intensivos estão 29 pessoas, menos 4.

O número de doentes dados como recuperados de covid-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 38.600, mais 89 do que no domingo.

Números por região

A região de Lisboa e Vale do Tejo totaliza esta segunda-feira 27.209 casos de covid-19, mais 99 do que no domingo, o que representa 63% do total de novos casos a nível nacional.

Quanto aos casos confirmados, a região Norte tem 19.094, mais 45 casos, e a região Centro tem 4.520 infeções confirmadas, mais seis do que na véspera, o Algarve totaliza 931 casos, mais dois do que no domingo, e o Alentejo tem 767, mais três casos.

A Madeira tem os mesmos 123 casos de domingo, e nenhuma morte, e nos Açores há 181 casos de infeção, mais dois do que no domingo. O número de pessoas que morreram com covid-19 no arquipélago mantém-se em 15.

A região Norte continua a registar o maior número de mortes (832), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (620), o Centro (253), Alentejo (22), Algarve (17) e Açores (15).

Houve subavaliação de risco no surto no lar de Reguengos de Monsaraz

Nos primeiros dias do surto no lar de Reguengos de Monsaraz, o risco foi mal avaliado.

Não havia um plano para substituir profissionais, foi difícil implementar medidas de controlo da infeção e ainda mais difícil ter médicos e enfermeiros no local.

São estas as conclusões preliminares do relatório da Autoridade de Saúde Pública a que a SIC teve acesso. Foi escrito a 29 de julho, quase uma semana depois da última das 18 vítimas ter morrido.

Direção do lar do Barreiro diz que surto de Covid-19 está controlado

A maioria dos utentes infetados está em isolamento nas instalações, exceto três que foram encaminhados para o Hospital do Barreiro.

O lar, que pertence à Santa Casa da Misericordia local, garante ter realizado testes a todos os funcionários e utentes.

A provedora garante que a situação continua controlada, mas que são precisos mais funcionários e enfermeiros para combater o surto. O presidente da autarquia adiantou esta segunda-feira de manhã à SIC que o reforço das equipas já começou a ser feito.


Ex-ministro da Saúde: “Não podemos guetizar os lares, seria de uma violência atroz”

O antigo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, foi o convidado do Jornal de Domingo da SIC Notícias.

Questionado sobre uma das populações mais vulneráveis à pandemia, Adalberto Campos Fernandes considera que muitos dos lares de idosos têm uma fiscalização débil, estando aí o “grande risco”.

Opõe-se, no entanto, ao seu isolamento, dizendo que os lares não podem ser “guetizados” e que os idosos devem poder usufruir de uma relação com a família, até mesmo pelos benefícios para a sua saúde mental.

“Devemos criar condições, uma bolha de proteção excecional”, conclui.

LINKS ÚTEIS

MAPA COM OS CASOS A NÍVEL GLOBAL

  • 34:18