Coronavírus

Da gripezinha aos 100 mil mortos. A TV Globo perdeu a paciência com Bolsonaro

ANDRE SOUSA BORGES

Editorial do Jornal Nacional da Globo a propósito de 100 mil mortos por Covid-19 no Brasil é inédito.

Especial Coronavírus

O Brasil regista já mais de 100 mil mortes por Covid-19 desde o início da pandemia.

Numa altura em que o país está perto de atingir os três milhões de infetados, Jair Bolsonaro afirma estar de consciência tranquila e defende ter feito o possível e impossível para salvar vidas.

O Presidente do Brasil acusou ainda os governadores de "inflacionarem" os números da pandemia e os médicos de não realizarem autópsias.

Num ato inédito, o Jornal Nacional da Globo emitiu um editorial em que sublinha a necessidade de se fazer frente à pandemia, questionando e criticando a atitude de Bolsonaro.

Brasil e EUA são os países que mais preocupam as autoridades

Os Estados unidos já ultrapassaram a barreira dos 5 milhões de infeções por covid-19. Também no Brasil os casos continuam a aumentar.

Profissionais de saúde acusam Bolsonaro de genocídio e de crimes contra a humanidade

Deu entrada no Tribunal de Haia uma queixa contra Jair Bolsonaro. O presidente do Brasil é acusado de genocídico e crimes contra a humanidade.

As entidades denunciam a falta de diretrizes do Governo Federal no combate à pandemia e o facto de o Brasil não ter um responsável no Ministério da Saúde há mais de dois meses.

Também criticam a postura de negação do presidente e fazem uma relação de episódios em que Bolsonaro incentivou a quebra do distanciamento social e a insistência em divulgar um fármaco que as autoridades de saúde não consideram eficaz para o tratamento da doença.

Esta semana, Jair Bolsonaro e o ministro interino da Saúde assinaram um decreto para a compra de uma vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford contra a Covid-19.

Covid-19 matou 722 mil pessoas e infetou mais de 19,4 milhões

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 721.902 pessoas e infetou mais de 19.419.370 em todo o mundo desde que o vírus foi detetado na China, em dezembro, refere o último balanço feito pela Agência France-Presse (AFP) com base em dados oficiais.

Países mais atingidos

  • Estados Unidos com 161.358 mortes em 4.942.008 infetados
  • Brasil, com 99.572 mortos em 2.962.442 casos,
  • México com 51.311 mortes (469.407),
  • Reino Unido (46.511 mortos em 309.005 casos)
  • Índia (42.518 mortes entre 2.088.611 infetados).
  • A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau) regista oficialmente um total de 84.596 casos (31 nas últimas 24 horas), entre os quais 4.634 mortos (0 entre sexta-feira e hoje), e 79.123 recuperados.

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje às 11:00 TMG 215.859 mortos em 5.412.752 casos, a Europa 212.794 mortos (3.324.721 casos), os Estados Unidos e o Canadá 170.362 mortes (5.060.783 infetados), a Ásia 70.515 mortos (3.347.655 casos), o Médio Oriente 29.570 mortes (1.228.429 infetados), a África 22.491 mortos (1.022.418 casos) e a Oceânia 311 mortos (22.618 infetados).

Portugal com 1.750 mortes e 52.537 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este sábado a existência de 1.750 mortos e 52.537 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.746 para 1.750, mais 4 do que na sexta-feira - duas na região de Lisboa, uma no Centro e uma no Algarve nas últimas 24 horas.

Já o número de infetados aumentou de 52.351 para 52.537 , mais 186.

O número de pessoas internadas é de 357, mais uma do que na sexta-feira, e nos cuidados intensivos estão 33 pessoas, menos três em relação ao boletim diário anterior.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global