Coronavírus

Pfizer inicia ensaio clínico de potencial vacina para a Covid-19 com quase 30 mil participantes

Ted S. Warren

Ensaio de fase 2/3 antecede o pedido de autorização de comercialização.

Especial Coronavírus

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech iniciaram um ensaio clínico de uma potencial vacina para a covid-19 envolvendo cerca de 30 mil participantes, foi hoje anunciado.

O ensaio de fase 2/3, que antecede o pedido de autorização de comercialização, começou nos Estados Unidos, refere em comunicado a Pfizer.

Os testes clínicos envolverão cerca de 30 mil adultos, entre os 18 e os 85 anos, recrutados por quase 120 centros, nenhum deles de Portugal, indicou à Lusa a filial portuguesa da multinacional farmacêutica norte-americana, que espera obter resultados de eficácia e segurança sólidos em finais de agosto ou no início de setembro.

Caso a vacina candidata se revele eficaz e segura para prevenir a covid-19, uma doença respiratória infecciosa causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, a Pfizer e a BioNTech "irão submeter o pedido de avaliação às autoridades regulamentares" do medicamento em outubro.

Se a comercialização for autorizada, a Pfizer e a BioNTech esperam fornecer até 100 milhões de doses da vacina até ao final de 2020 e cerca de 1,3 mil milhões de doses até ao fim de 2021.

A vacina BNT162b1 "é capaz de gerar uma resposta de anticorpos nos seres humanos"

A vacina candidata pretende estimular, com material genético sintetizado, o organismo a produzir uma proteína igual à do SARS-CoV-2, a proteína da espícula, para que depois saiba reconhecê-la quando for infetado com o coronavírus e, assim, desencadeie a resposta imunitária desejada, isto é, a produção de anticorpos que neutralizem o vírus.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, à data de 31 de julho havia 26 vacinas candidatas para a covid-19 em ensaios clínicos, incluindo cinco na fase 3 (fase que antecede o pedido de autorização para a introdução de um novo medicamento no mercado).

As vacinas mais promissoras no combate à Covid-19

Laboratórios por todo o mundo estão numa corrida contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. Há dezenas de equipas a testar várias candidatas a vacina, algumas estão mais avançadas e são promissoras, mas os cientistas avisam que nenhuma deverá estar pronta antes do fim deste ano.

Segundo o London School of Hygiene & Tropical Medicine, (que tem um gráfico que mostra o progresso das experiências) 23 projetos estão na fase de ensaios clínicos - que consiste na inoculação da vacina em milhares de voluntários a fim de determinar se impede de facto a infeção.

Os resultados mais encorajadores vêm da Pfizer e da BioNTech, da Moderna, do projeto entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca e de vários projetos chineses, nomeadamente da CanSinoBIO que já obteve autorização para administrar a vacina em militares chineses.

Covid-19 já matou mais de 701 mil pessoas e infetou mais de 18,5 milhões

A pandemia de covid-19 já matou pelo menos 701.112 pessoas e infetou 18.572.720 em todo o mundo desde que o vírus foi detetado na China, em dezembro, refere o último balanço feito pela Agência France-Presse (AFP) com base em dados oficiais.

Pelo menos 10.917.200 doentes já foram considerados curados.

Países mais atingidos

  • Estados Unidos com 156.830 mortes e 4.771.846 casos
  • Brasil, com 95.819 mortos e 2.801.921 casos
  • México, com 48.869 mortos e 449.961 casos de infeção
  • Reino Unido, com 46.299 mortos e 306.293 casos
  • Índia, com 39.795 óbitos e 1.908.254 casos de infeção
  • China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabiliza oficialmente um total de 84.491 casos (27 novos nas últimas 24 horas), incluindo 4.634 mortes e 79.047 recuperados.

A Europa totalizava, às 12:00 de hoje, 211.603 mortes e 3.256.677 casos, enquanto a América Latina e as Caraíbas registavam 206.713 óbitos (5.120.531 casos).

Os Estados Unidos e o Canadá contabilizavam 165.818 mortes (4.889.179 casos) e na Ásia somavam-se 66.979 óbitos (3.113.070 casos).

O Médio Oriente contabilizava 28.637 mortes (1.192.975 casos), África 21.083 óbitos (979.057 casos) e Oceânia 279 mortes (21.239 casos).

Esta avaliação foi realizada usando dados recolhidos pela AFP junto das autoridades nacionais de saúde e com informações da Organização Mundial da Saúde.

Portugal com 1.740 mortes e 51.848 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.740 mortes e 51.848 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.739 para 1.740, mais 1 do que ontem. Já o número de infetados aumentou de 51.681 para 51.848, mais 167 doentes.

Há 384 doentes internados, 41 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37.318 para 37.565, mais 247.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • 34:18