Coronavírus

Covid-19 pode causar complicações neurológicas graves

Ivan Alvarado

Estudo publicado na revista Brain relaciona a doença Covid-19 e complicações neurológicas em pessoas com sintomas leves.

Especial Coronavírus

Médicos britânicos alertam para complicações neurológicas em doentes com Covid-19, que estão a passar despercebidas por se manifestarem em pessoas que estão recuperadas ou com sintomas leves da doença.

Esta quarta-feira foi divulgado um estudo, pela revista Brain, que analisa cerca de 40 casos de doentes com Covid-19 em que se detetaram várias complicações no cérebro, sendo que em alguns o problema neurológico foi o primeiro e principal sintoma.


"O cérebro parece estar envolvido nesta doença", diz Michael Zandi, autor do estudo.


"A forma como a Covid-19 afeta o cérebro nunca foi vista antes noutros vírus", defende o autor do estudo

Estes casos analisados revelaram um aumento de situações de Encefalomielite Aguda Disseminada, na mesma altura em que o Reino Unido foi fortemente afetado pelo novo coronavírus.

A Encefalomielite Aguda Disseminada é uma doença inflamatória rara, também conhecida por ADEM, que afeta o sistema nervoso central depois de uma infeção provocada por um vírus ou vacinação.

Os casos detetados com ADEM aumentaram de um por mês, antes do início da pandemia, para dois ou três por semana entre abril e maio.

Para além da ADEM, havia doentes com o síndrome delirium ou psicose, com derrames cerebrais e problemas nos nervos periféricos, diagnosticados como síndrome de Guillain-Barré, uma reação imune que ataca os nervos e causa paralisia.

Casos de doentes Covid-19 com distúrbios

Uma doente, de 55 anos, com Covid-19, em que a situação é descrita no estudo, no dia seguinte a ter alta começou a ter comportamentos forma do normal, como conta o The Guardian.

Sem historial de doenças psíquicas, esta mulher vestiu e tirou o casaco várias vezes e relatou que viu macacos e leões dentro de casa. Foi de imediato internada e com a medicação melhorou gradualmente.

Outra mulher, de 47 anos, foi internada com queixas de dor de cabeça e dormência na mão direita, depois de ter passado uma semana com tosse e febre. Acabou por ser operada de urgência para remover parte do cérebro.

É ainda descrito um caso, de uma mulher de 59 anos com Covid-19, que acabou por morrer das complicações.

A preocupação dos médicos britânicos

Os distúrbios cerebrais associados à Covid-19 podem ainda não estar todos identificados.

"O que realmente precisamos agora é de uma investigação mais aprofundada para analisar o que realmente está acontecer ao cérebro", disse Zandi. "Queremos que os médicos em todo o mundo estejam atentos às complicações associadas ao coronavírus."

A grande preocupação destes médicos é que a Covid-19 deixe parte da população afetada por problemas no cérebro, que podem até só se manisfestar dentro de alguns anos.

"Esperemos, obviamente, que isso não aconteça, mas quando existe uma pandemia a afetar uma proporção tão grande da população, é necessário estarmos atentos", defende Zandi.


David Strain, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Exeter, explica que apenas um pequeno número de doentes com Covid-19 parece ter sérias complicações neurológicas, porém defende que é necessário entender a sua prevalência.