Coronavírus

Marta Temido admite questões por esclarecer sobre Lisboa e Vale do Tejo: "É uma situação de sobressalto"

Marta Temido admite questões por esclarecer sobre Lisboa e Vale do Tejo: "É uma situação de sobressalto"

Rita Rogado

Rita Rogado

Jornalista

A ministra da Saúde reconhece dificuldades em combater cadeias de transmissão de Covid-19. No entanto, voltou a negar descontrolo do contágio na região de Lisboa.

Especial Coronavírus

Em entrevista à RTP, Marta Temido garantiu que a capacidade dos cuidados intensivos nunca foi excedida. Questionada sobre a ocupação das 95 camas reservadas para doentes com Covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo, disse que não estão todas ocupadas.

Não avança números, avançou apenas que esta quarta-feira, estavam ocupadas 79 camas em todo o país. "Estamos a falar de uma capacidade de utilização ainda muito disponível", afirmou.

A Ministra da Saúde voltou a negar descontrolo das infeções na região mais afetada pela pandemia. Afirmou que se tratam de cadeias de transmissão que se têm mantido de forma persistente. No entanto, admitiu dificuldades em combater essas cadeias e reconheceu que há questões por esclarecer sobre os motivos do aumento de casos em Lisboa.

Questionada sobre as críticas de Fernando Medida às autoridades de saúde, não se mostrou surpreendida.

"Não podemos dizer que as chefias de saúde pública são incompetentes", realçou.

Marta Temido reconheceu que os profissionais na linha da frente do combate ao vírus estão cansados. Disse ainda que o país não estava preparado para uma pandemia.

À RTP, avançou que vão ser contratados 30 recém-especialistas de saúde pública no final deste mês ou no início de agosto. E admitiu o receio de uma segunda vaga de Covid-19 no inverno.