Coronavírus

Ministra da Justiça garante visitas nas prisões com regras "rigorosamente cumpridas"

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Francisca Van Dunem realça que não houve "um único caso de Covid-19" no interior das cadeias.

Especial Coronavírus

Um dia depois do retomar das visitas a reclusos no Estabelecimento Priosional de Sintra, a ministra da Justiça quis visitar o espaço adaptado para assegurar o cumprimento das regras de distanciamento e evitar o risco de contágio nas prisões.

Os antigos parlatórios - abolidos nas cadeias em todo o mundo - foram "recriados" nas palavras de Francisca Van Dunem com materiais que permitem os contactos com o exterior em segurança.

A ministra considera, que mesmo na área de Lisboa, o risco do desconfinamento tem a ver com "outro tipo de atividades" e acredita que será possível manter as visitas, com as novas regras, que passam por marcação prévia, na semana anterior, limite do número de visitantes e de tempo, o cumprimento de orientações de segurança e uso de máscara.

Tudo para que se mantenha a situação que a minista realça: "não há um único caso" de Covid-19 dentro do sistema prisional, adiantando que os 21 que foram identificados foram ou em funcionários ou em reclusos infetados no exterior.

Suspensas em março, as visitas com os reclusos foram retomadas este mês de junho. 42 dos 49 estabelecimentos prisionais estão em condições de o fazer em segurança, segundo a ministra que, de qualquer forma, não hesita em afirmar que "se em algum momento se chegar à conclusão de que há um aumento do risco em função das visitas, obviamente que situação será ponderada".