Coronavírus

Presidente da República cancela comemorações do 10 de Junho

NUNO VEIGA

As celebrações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas estavam marcadas para a Madeira e África do Sul.

Especial Coronavírus

Marcelo Rebelo de Sousa cancelou as comemorações do 10 de Junho. A decisão foi tomada pelo Presidente da República devido à pandemia de Covid-19, confirmou a SIC junto de fonte da Presidência.

Marcelo Rebelo de Sousa decidiu cancelar as comemorações do dia 10 de Junho, nos moldes como habitualmente decorrem. O Presidente da República esclareceu, entretanto, que a data será naturalmente assinalada, mas em moldes distintos dos que estavam previstos.

O chefe de Estado explicou aos jornalistas, ao início da tarde desta quinta-feira, que o 10 de Junho será assinalado em Lisboa, com os devidos cuidados, e propôs que as celebrações canceladas na Madeira e África do Sul se realizem em 2021.

A deliberação de Marcelo Rebelo de Sousa assentou no facto do Presidente da República considerar não existirem condições de saúde pública para garantir as comemorações do Dia de Portugal, nos moldes em que estavam a ser planeadas.

Marcelo Rebelo de Sousa passa revista às forças em parada, durante a cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal em Portalegre, em 2019.

Marcelo Rebelo de Sousa passa revista às forças em parada, durante a cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal em Portalegre, em 2019.

NUNO VEIGA

O Presidente da República contactou as autoridades da Madeira e África do Sul, a dar conta do cancelamento.

Marcelo Rebelo de Sousa enviou uma carta ao presidente do Governo Regional, ao presidente da assembleia legislativa da Madeira, ao presidente da Câmara do Funchal, ao representante da República, ao primeiro-ministro e ainda ao presidente da Assembleia da República.

O chefe de Estado tinha escolhido o cardeal, poeta e teólogo José Tolentino Mendonça para presidente das comemorações do 10 de Junho de 2020.

O presidente da comissão das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas discursa habitualmente no dia 10 de Junho, antes do chefe de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa canta o Hino Nacional, durante a Cerimónia Militar do Içar da Bandeira Nacional, no âmbito das comemorações oficiais do Dia de Portugal, em Portalegre.

Marcelo Rebelo de Sousa canta o Hino Nacional, durante a Cerimónia Militar do Içar da Bandeira Nacional, no âmbito das comemorações oficiais do Dia de Portugal, em Portalegre.

NUNO VEIGA

Em 2016, ano em que tomou posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa lançou um modelo inédito, acertado com o primeiro-ministro, António Costa, em que as celebrações do Dia de Portugal começam em território nacional e se estendem a um país estrangeiro com comunidades emigrantes portuguesas.

As cerimónias do Dia de Portugal já foram realizadas em Lisboa e Paris (2016), no Porto, Rio de Janeiro e São Paulo (2017), nos Açores e EUA (2018) e em Portalegre e Cabo Verde (2019).

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19