Coronavírus

OMC avisa que se avizinha uma crise económica pior do que a de 2008

Caitlin Ochs / Reuters

As projeções mais recentes sobre o impacto da pandemia predizem uma recessão acompanhada de perda de empregos.

Especial Coronavírus

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) considerou hoje que o mundo se está a encaminhar para uma crise económica pior que a de 2008, para a qual se deve preparar com colaboração internacional e mercados abertos.

As projeções mais recentes sobre o impacto da pandemia predizem uma recessão acompanhada de perda de empregos pior do que a registada na crise financeira de há 12 anos", sublinhou o responsável da OMC, Roberto Azevedo, numa mensagem gravada a partir de casa e divulgada na Internet pelos canais oficiais da OMC.

"A covid-19 ameaça as vidas de milhões de pessoas no mundo e ainda que, acima de tudo seja uma crise da saúde, a pandemia também terá um inevitável impacto na economia, no comércio, nos empregos e no bem-estar", defendeu o diretor-geral da OMC.

Roberto Azevedo sublinhou que muitos governos estão a introduzir medidas de estímulo orçamental e monetário que aumentarão as defesas face à recessão, mas ao mesmo tempo é necessária "uma resposta global para uma pandemia global".

"Nenhum país é auto suficiente, por muito poderoso ou avançado que esteja", sublinhou, numa alusão à necessidade do mercado internacional se manter aberto em momentos de dificuldades.

O comércio "é o que permite uma produção eficiente e o abastecimento de bens e serviços básicos, tais como equipamento médico, alimentos e fontes de energia", sublinhou o responsável num momento em que muitos países reduziram ou proibiram as exportações de equipamento sanitário, por receio de aumento do preço do mesmo nas suas redes de saúde à beira do colapso.

A OMC foi uma das primeiras agências internacionais com sede em Genebra que registou casos de coronavírus entre os seus trabalhadores, que obrigou a reduzir ao mínimo a sua atividade desde o início deste mês.

Coronavírus provoca cerca de 22 mil mortos em todo o mundo

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 480 mil pessoas em 182 países e territórios, das quais mais de 22.000 morreram.

Mais de 250 mil casos de Covid-19 diagnosticados na Europa

Com 258.068 casos, 14.460 mortais, a Europa é atualmente o continente mais atingido pela pandemia, à frente da Ásia (100.937 casos e 3.636 mortes), foco inicial do surto.

Para tentar conter o surto, os governos da UE estão a adotar medidas como o confinamento dos cidadãos e o fecho ou controlo de fronteiras, tendo ainda sido adotada uma suspensão das viagens (nomeadamente as aéreas) não essenciais.

Mais 17 mortes e 549 casos de Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 60 mortes e 3.544 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu de 43 para 60 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 2.995 para 3.544, mais 549 relação a ontem, uma subida que representa um aumento de 18,3%.

Há, ao todo, 43 casos recuperados a registar, mais 21 que ontem.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: