Coronavírus

Costa admite fecho de escolas "muito além" das férias da Páscoa devido à pandemia de covid-19

MANUEL DE ALMEIDA

Primeiro-ministro admitiu que "provavelmente" o Governo decidirá "prolongar" o fecho das escolas.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu esta terça-feira, no debate quinzenal, no parlamento, que o encerramento das escolas poderá "ir muito além" das férias da Páscoa devido à pandemia de covid-19.

No debate, primeiro em resposta a Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, e depois a Jerónimo de Sousa, do PCP, Costa admitiu que "provavelmente" o Governo decidirá "prolongar" o fecho das escolas "muito além das férias da Páscoa".

Os líderes do PCP e do BE questionaram-no sobre se o executivo iria ou não prolongar para as férias da Páscoa o subsídio criado para os pais que têm de ficar em casa com os filhos com menos de 12 anos, cujas escolas encerraram.

O chefe do Governo não deu abertura ao prolongamento dessa medida durante as férias, dado que esse período de pausa já estava previsto no calendário escolar.

O apoio aos pais deverá prolongar-se depois das férias e é nesta fase da resposta que Costa admitiu que as escolas continuem sem aulas presenciais, dado que prevê que as escolas continuem fechadas.

E na resposta a Jerónimo de Sousa repetiu a explicação, admitindo no final:

"O terceiro período, provavelmente, não vai ser muito diferente do que tem sido estas semanas."

A suspensão das aulas presenciais nas escolas foi uma medida decretada pelo Governo ainda antes da declaração do estado de emergência.



SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: