Coronavírus

Cronologia dos principais momentos de um surto na China que evoluiu para pandemia global

Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Handout via REUTERS

No dia em que Portugal lamenta a primeira morte por infeção do novo coronavírus que provoca a doença Covid-19, uma cronologia dos acontecimentos desde que uma pneumonia de origem desconhecida atingiu Wuhan, na China.

Especial Coronavírus

Cronologia dos principais acontecimentos relacionados com o surto do novo coronavírus, que provoca a doença Covid-19, declarado na China em dezembro de 2019.

Em março de 2020, a Organização Mundial de Saúde declarou a situação de pandemia.

31 de dezembro de 2019

– O gabinete da Organização Mundial de Saúde da China (OMS) informa sobre mais de duas dezenas de casos de pneumonia de origem desconhecida detetados na cidade chinesa de Wuhan, na província de Hubei.

1 de janeiro de 2020

– É encerrado o mercado de pescado e carne que se pensa estar na origem da contaminação, dado que os doentes tinham todos ligação ao local.

4 de janeiro de 2020

– São 44 os casos de doentes com uma pneumonia de origem desconhecida reportados pelas autoridades chinesas.

10 e 11 de janeiro

- As autoridades chinesas identificam o agente causador das pneumonias como um tipo novo de coronavírus, que foi isolado em sete doentes.

13 de janeiro

– Primeiro caso confirmado fora da China, na Tailândia.

15 de janeiro

– Primeiro caso reportado no Japão do novo coronavírus, entretanto designado como 2019-nCoV.

- Primeira declaração das autoridades portuguesas sobre o novo coronavírus. A diretora-geral da Saúde estima, com base nas informações provenientes da China, que o surto estará contido e que uma eventual propagação em massa não é “uma hipótese no momento a ser equacionada”.

20 de janeiro

– Autoridades confirmam que há transmissão entre seres humanos.

21 de janeiro

- Primeiro caso nos Estados Unidos, num doente em Washington regressado de Wuhan.

22 de janeiro

– Macau confirma o primeiro caso da doença, numa altura em que há mais de 440 infetados.

- Começa o isolamento da cidade de Wuhan ao mundo, com as autoridades de saúde a cancelar voos e saída de comboios.

- Portugal anuncia que acionou os dispositivos de saúde pública e tem em alerta o Hospital de São João (Porto), o Curry Cabral e Estefânia (Lisboa).

23 de janeiro

- OMS reúne o seu comité de emergência na Suíça para avaliar se o surto constitui uma emergência de saúde pública internacional, mas decide não a decretar.

- As autoridades chinesas proíbem entradas e saídas numa segunda cidade, Huanggan, a cerca de 70 quilómetros de Wuhan. As duas cidades têm em conjunto mais de 18 milhões de habitantes.

- Alguns aeroportos no mundo, como no Dubai, nos Estados Unidos e nalguns países africanos, começam a tomar precauções para lidar com o fluxo de turistas chineses que tiram férias no Ano Novo Lunar, que coincide com o surto.

24 de janeiro

– Confirmados em França os primeiros dois casos na Europa, ambos importados.

25 de janeiro

– Pequim decide suspender as viagens organizadas na China e ao estrangeiro.

- Austrália anuncia primeiro caso e Hong Kong declara estado de emergência.

- Primeiro caso suspeito em Portugal, mas as análises revelam que é negativo.

27 de janeiro

– Primeira morte confirmada em Pequim.

- O Centro Europeu de Controlo das Doenças pede aos estados-membros da União Europeia (UE) que adotem “medidas rigorosas e oportunas” para controlo do novo coronavírus.

28 de janeiro

- O Mecanismo Europeu de Proteção Civil é ativado, a pedido de França, para repatriamento dos franceses em Wuhan.

- Confirmados dois casos, um na Alemanha e outro no Japão, de doentes que não estiveram na China, tendo sido infetados nos seus países por pessoas provenientes de Wuhan.

29 de janeiro

– Pelo menos 17 portugueses pedem para sair da China, quase todos na região de Wuhan.

- Finlândia confirma primeiro caso.

- Rússia encerra fronteira terrestre com a China.

- Estudo genético confirma que o novo coronavírus terá sido transmitido aos humanos através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que foi infetado por morcegos.

30 de janeiro

OMS declara surto como caso de emergência de saúde pública internacional, mas opõe-se a restrições de viagens e trocas comerciais.

31 de janeiro

– Estados Unidos decidem proibir a entrada de estrangeiros que tenham estado na China nos últimos 14 dias e impor quarentena a viajantes de qualquer nacionalidade provenientes da província de Hubei.

1 de fevereiro

– Austrália proíbe entrada no país a não residentes vindos da China.

2 de fevereiro

- Os 18 portugueses e as duas brasileiras retirados da cidade de Wuhan chegam a Lisboa e ficam em isolamento voluntário por 14 dias.

- Filipinas anunciam o primeiro caso mortal no país e o primeiro fora da China.

3 de fevereiro

- OMS anuncia que está a trabalhar com a Google para travar informações falsas sobre o novo coronavírus.

11 de fevereiro

– OMS decide dar oficialmente o nome de Covid-19 à infeção provocada pelo novo coronavírus.

13 de fevereiro

- Autoridades chinesas mudam a forma de contabilizar e assumir casos de infeção. Passam a contar não apenas os casos com confirmação laboratorial, mas também os que têm confirmação clínica apoiada por exames radiológicos.

14 de fevereiro

- Segunda morte confirmada fora da China, no Japão.

16 de fevereiro

– Terceira morte confirmada fora da China, num turista chinês que visitava França.

19 de fevereiro

- Autoridades iranianas confirmam dois primeiros casos no Irão. A agência estatal iraniana IRNA avança que dois iranianos morreram devido ao Covid-19, poucas horas depois.

20 de fevereiro

- Autoridades chinesas voltam a alterar a metodologia da contagem de infetados, uma decisão que se reflete numa descida acentuada no número de novos casos.

- Coreia do Sul regista a primeira morte.

21 de fevereiro

- Autoridades chinesas anunciam que surto está "sob controlo".

- Itália regista primeira vítima mortal, um italiano de 78 anos.

22 de fevereiro

- Irão fecha escolas, universidades e centros educativos em duas cidades. Autoridades confirmam mais de 40 casos de infeção e oito mortes.

23 de fevereiro

- Autoridade japonesas confirmam que um português, Adriano Maranhão, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, acusou teste positivo ao vírus da infeção Covid-19.

- Presidente da China, Xi Jiping, admite que o surto é a mais grave emergência de saúde no país desde a fundação do regime comunista, em 1949.

- Autoridades italianas ordenam suspensão dos festejos do Carnaval de Veneza.

- Fundo Monetário Internacional (FMI) considera que epidemia coloca em risco a recuperação económica mundial e manifesta disponibilidade para ajudar financeiramente os países mais pobres e vulneráveis.

24 de fevereiro

- Comissão Europeia anuncia mobilização de 230 milhões de euros para apoiar a luta global contra o Covid-19.

- Diretor-geral da OMS avisa que o mundo tem de se preparar para uma “eventual pandemia”, considerando “muito preocupante” o “aumento repentino” de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.

25 de fevereiro

- O português infetado a bordo de um navio de cruzeiros atracado no Japão é enviado para um hospital de referência local.

- O especialista que liderou a equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) enviada à China afirma que o mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia.

26 de fevereiro

- Brasil confirma o primeiro caso de contágio, um homem de 61 anos, residente em São Paulo, regressado recentemente do norte de Itália. É o primeiro caso na América do Sul.

- Vários países confirmam igualmente os primeiros casos, entre os quais Grécia, Finlândia, Macedónia do Norte, Geórgia e Paquistão.

- OMS revela que o número de novos casos diários confirmados no resto do mundo ultrapassou pela primeira vez os registados na China.

27 de fevereiro

– Arábia Saudita suspende temporariamente a entrada de peregrinos que visitam a mesquita do profeta Maomé e os lugares sagrados do Islão em Meca e Medina, bem como turistas de países afetados pelo coronavírus.

- Segundo português hospitalizado no Japão “por indícios relacionados” com o Covid-19, também tripulante do navio de cruzeiros Diamond Princess.

- A DGS divulga orientações às empresas, aconselhando-as a definir planos de contingência para casos suspeitos entre os trabalhadores que contemplem zonas de isolamento e regras específicas de higiene, e para portos e viajantes via marítima, que define que qualquer caso suspeito validado deve ser isolado e que apenas um elemento da tripulação deve contactar com o passageiro.

28 de fevereiro

- Primeiro caso confirmado na África subsaariana, na Nigéria, depois de terem sido identificadas infeções no norte do continente, no Egito e na Argélia.

- Suíça proíbe pelo menos até 15 de março qualquer evento público ou privado que reúna mais de mil pessoas.

- Comissão Europeia solicita aos Estados-membros da UE que avaliem os impactos económicos do novo coronavírus.

- OMS aumenta para “muito elevado” o nível de ameaça do novo coronavírus.

- Responsáveis da Feira Internacional de Turismo de Berlim anunciam a suspensão do evento, considerado o maior do mundo, que se deveria realizar entre 04 e 08 de março.

- Governo português reforça em 20% o ‘stock’ de medicamentos em todos os hospitais do país, além de estar a preparar um eventual reforço de recursos humanos.

29 de fevereiro

- Governo francês anuncia cancelamento de "todas as concentrações com mais de 5.000 pessoas" em espaços fechados e alguns eventos no exterior, como a meia-maratona de Paris.

- Primeira vítima mortal nos Estados Unidos da América.

1 de março

- Governo das Astúrias confirma primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus na região espanhola, o escritor chileno Luis Sepúlveda, que esteve recentemente em Portugal.

- Macau com perdas históricas nas receitas do jogo em fevereiro, menos 87,8% em relação a igual período de 2019, num mês em que os casinos fecharam por 15 dias devido ao surto de Covid-19.

- Adriano Maranhão, primeiro português infetado no Japão, tem alta hospitalar.

2 de março

- Confirmados os dois primeiros casos em Portugal

- Governo português divulga um despacho a ordenar aos serviços públicos que elaborarem planos de contingência para o surto de Covid-19.

3 de março

- Número de infetados em Portugal sobe para quatro. Mais de três mil mortos e de 91 mil infetados em todos os continentes, segundo dados da OMS. Os países mais afetados são China, Coreia do Sul, Irãoe Itália.

- Hospitais São João e Santo António, no Porto, esgotaram capacidade de resposta a casos suspeitos, novas unidades são ativadas

- Comissão Nacional de Proteção Civil passa a funcionar em permanência, para fazer face ao novo coronavírus.

- Governo português dá cinco dias às empresas públicas para elaborarem planos de contingência

- Primeira morte em Espanha

- Itália confirma 79 mortes

- Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), que gere a política monetária do país, corta em 50 pontos base as taxas de juro, devido ao novo coronavírus. O presidente da Fed, Jerome Powell, considera inevitável que os efeitos do surto alastrem às economias mundiais e alterem o seu normal funcionamento "durante algum tempo".

- FMI e Banco Mundial anunciam que reuniões de abril, que se realizam anualmente em Washington, vão ser feitas à distância, em "formato virtual".

4 de março

- Número de infetados em Portugal sobe para seis. Em todo o mundo, há registo de mais de 3.100 mortos e de 93.100 infetados em 77 países de cinco continentes, segundo dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

- Mais de 290 milhões de jovens sem aulas em todo o mundo, segundo a UNESCO.

- Os trabalhadores em quarentena em Portugal por determinação de autoridade de saúde vão receber integralmente o rendimento nos primeiros 14 dias, segundo um despacho publicado em Diário da República.

- O primeiro-ministro português anuncia linha de crédito para apoio de tesouraria a empresas afetadas pelo impacto económico do surto do novo coronavírus, caso seja necessário, no valor inicial de 100 milhões de euros.

- Banco Mundial anuncia 12.000 milhões de dólares (cerca de 10.786 milhões de euros) para ajudar os países que enfrentam impactos económicos e de saúde.

- O setor dos serviços contraiu pela primeira vez na China desde que há registos.

- Itália, o país europeu mais afetado, fecha todas as escolas e universidades até meados de março

- FMI diz que crescimento mundial será inferior em 2020 ao de 2019 devido ao impacto da epidemia do novo coronavírus, mas que é "difícil prever quanto".

- Surto diminuiu exportações mundiais em 50 mil milhões de dólares em fevereiro, segundo uma análise publicada pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento.

5 de março

- Portugal com nove casos de infeção. O número de pessoas infetadas em todo o mundo aumenta para 97.510, das quais 3.346 morreram, em 85 países e territórios. A China é o país mais afetado (80.409 casos e 3.012 mortes), seguido pela Coreia do Sul (6.088 casos, 35 mortes), Itália (3.858 casos, 148 mortes) e Irão (3.513 casos, 107 mortes).

- Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) adiada para 27 a 31 de maio

- Perdas das companhias aéreas mundiais podem chegar aos 113 mil milhões de dólares (101,1 mil milhões de euros), estima a associação internacional de transporte aéreo (IATA).

- TAP reduz 1.000 voos em março e abril devido a quebra nas reservas, suspende investimentos e avança com licenças sem vencimento.

- O Fundo Monetário Internacional disponibiliza 50 mil milhões de dólares (cerca de 46,7 mil milhões de euros) para combater o surto.

6 de março

- 13 casos confirmados em Portugal. Número de infetados no mundo ultrapassa os 100 mil, das quais 3.456 morreram.

- Preço do barril de Brent cai mais de 6%, para cerca de 47 dólares, devido à quebra da procura

7 de março

- Número de infeções em Portugal sobe para 21.

- Visitas a hospitais, lares e estabelecimentos prisionais da região Norte suspensas temporariamente. A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, recomenda também o adiamento de eventos sociais.

- Uma escola de Idães, em Felgueiras, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e o edifício do curso de História da Universidade do Minho foram encerrados por serem instituições relacionadas com casos de pessoas infetadas em Portugal.

8 de março

- Primeiras mortes registadas no continente africano (Egito) e na América Latina (Argentina).

- Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, suspende agenda e anuncia isolamento voluntário durante duas semanas, apesar de não apresentar sintomas.

9 de março

- Universidades de Lisboa e Coimbra suspendem todas as aulas presenciais por duas semanas.

- Itália estende quarentena a todo o país, onde número de mortos atinge 463.

- Governo italiano proíbe as entradas e saídas da Lombardia e de outras 11 províncias próximas para limitar a disseminação do coronavírus, que já causou 233 mortes e 5.061 infetados em todo o país.

- DGS encerra escolas e suspende atividades de lazer e culturais nos concelhos de Lousada e Felgueiras por causa do acumular de casos.

- Primeiros casos em Chipre significam que todos os países da União Europeia estão atingidos pelo novo coronavírus.

10 de março

- Câmara de Lisboa encerra museus, teatros municipais e suspende atividades desportivas em recintos fechados.

- Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) decreta fecho de museus, monumentos e palácios na sua dependência.

- Governo português suspende voos para todas as regiões de Itália por 14 dias.

- Número recorde de 168 mortos em Itália num período de 24 horas.

- Presidente chinês considera surto do Covid-19 no país como "praticamente contido”.

- Primeiro-ministro, António Costa, anuncia fecho de todas as escolas a partir de 16 de março, encerramento de discotecas, restrições em restaurantes, centros comerciais, serviços públicos e proibição de desembarque de passageiros de cruzeiros.

- Estado de alerta declarado em todo o país, com proteção civil e forças e serviços de segurança em prontidão.

11 de março

- OMS declara doença Covid-19 como pandemia, alertando para aumento do número de casos e mortes e apontando “níveis alarmantes de propagação e inação”.

- Número de infetados em Portugal atinge 59.

- Espanha regista mais de 2.000 infetados e 47 mortos.

- Turquia anuncia primeiro caso num homem regressado da Europa.

- Mais de mil médicos disponibilizam-se para reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde.

12 de março

- Pandemia atinge 125.293 infetados e já matou 4.600 no mundo, 1.016 dos quais em Itália, o país europeu mais afetado.

- Região Autónoma da Madeira suspende atracagem de navios de cruzeiro e impõe medição de temperatura a passageiros nos aeroportos.

- Governo dos Açores fecha escolas e museus, interdita cinemas e ginásios.

- Hospital de São João anuncia que uma das primeiras pessoas internadas em Portugal com Covid-19 se curou.

- Venezuela suspende voos provenientes da Europa, Colômbia e Panamá e decreta emergência preventiva.

13 de março

- Organização Mundial de Saúde declara que Europa é o centro da pandemia, com o número de mortos em todo o mundo a superar 5.300.

- Número de casos confirmados em Portugal sobe para 112.

- Governo permite a funcionários públicos ficar em casa em regime de teletrabalho sempre que funções o permitam.

- Madeira suspende voos provenientes da Dinamarca, França, Alemanha, Suíça e Espanha, países de transmissão ativa.

- Presidente dos EUA, Donald Trump, declara estado de emergência nacional.

- UEFA suspende todos os jogos sob a sua égide, incluindo Liga dos Campeões e Liga Europa.

- República Checa anuncia fecho total de fronteiras a partir de 16 de março.

14 de março

- Ministra da Saúde, Marta Temido, anuncia que Portugal entrou "numa fase de crescimento exponencial da epidemia", com 169 casos confirmados.

- Açores e Madeira decidem quarentena obrigatória para todas as pessoas que cheguem às regiões autónomas.

- Governo de Espanha, onde há mais de 5.700 casos, impõe “medidas drásticas” no âmbito do estado de alerta, proíbe cidadãos de andar na rua, exceto para irem trabalhar, comprar comida ou à farmácia.

- Número de mortos em todo o mundo atingiu 5.764, com mais de 151.000 pessoas infetadas.

15 de março

- Número de casos em Portugal atinge 245, em todo mundo há quase 160.000 pessoas infetadas e já morreram mais de 6.000.

- Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convoca Conselho de Estado por vídeoconferência para 18 de março, para discutir a "eventual decisão de decretar o estado de emergência" em Portugal.

- Sindicato Independente dos Médicos conta mais de 50 clínicos infetados e mais de 150 em quarentena.

- Governo proíbe consumo de bebidas alcoólicas na via pública e eventos com mais de cem pessoas, apelando para que deslocações se limitem ao estritamente necessário.

- Autoridade Marítima Nacional interdita atividades desportivas ou de lazer que juntem pessoas nas praias do continente, Madeira e Açores.

16 de março

- O número de infetados em Portugal pelo novo coronavírus sobe para 331. Segundo a Direção-Geral da Saúde, há 2.908 casos suspeitos, dos quais 374 aguardam resultado laboratorial.

- Governo português anuncia o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais.

- Portugal vai também intensificar o controlo sanitário nos aeroportos

- Macau decreta quarentena obrigatória de 14 dias para quem chegar ao território, com exceção da China continental, Taiwan e Hong Kong.

- Assembleia da República dispensa funcionários inseridos em grupos de risco e promove o trabalho à distância e rotatividade.

- A ministra da Saúde anuncia a primeira morte em Portugal devido à infeção pelo novo coronavírus.

17 de março

- Morre a segunda pessoa em Portugal vítima de Covid-19. António Vieira Monteiro, presidente do Santander.

- O Presidente da República decreta o estado de emergência no país.

  • 187 mortos e 8.251 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O último balanço da DGS dá conta de 187 mortes e 8.251 casos de Covid-19 em Portugal. O Conselho de Ministros deu parecer favorável à renovação do estado de emergência. Bebé de seis semanas morre de Covid-19 nos EUA. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias