Coronavírus

O que precisa de saber sobre o coronavírus

ALEX PLAVEVSKI

A Direção-Geral de Saúde lançou um microsite para ajudar os portugueses.

Especial Coronavírus

Perante a evolução da infeção por todo o mundo, as dúvidas sobre o Covid-19 começaram a surgir. Para combater a desinformação, a Direção-Geral da Saúde lançou um microsite para ajudar os portugueses a encontrarem as respostas sobre o coronavírus


O que é o novo coronavírus Covid-19?

A DGS começa por explicar que o Covid-1 foi detetado pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan, em dezembro do ano passado. Este novo vírus "nunca tinha sido identificado em seres humanos".

"Os Coronavírus são uma família de vírus conhecidos por causar doença no ser humano. A infeção pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como doença mais grave, como pneumonia."

A fonte de infeção ainda não é conhecida e a via de transmissão está ainda em investigação.

Estarei doente?

A DGS divulga uma imagem que ajuda os internautas a perceber se estão doentes e como agir. Em caso de dúvida, o recomendado é ligar para a linha SNS24.

DGS

Posso viajar?

São desaconselhadas todas as deslocações à província de Hubei, onde foi detetado o coronavírus, e viagens não essenciais à China. A recomendação é feita pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, que aconselha ainda prudência nas viagens feitas a países próximos da China e a outros onde se verificam situações de contágio, como Itália ou Coreia do Sul.

Para além destes conselhos, a DGS reforça as recomendações para viajantes, como seguir as recomendações das autoridades de saúde do país, lavar frequentemente as mãos, adotar medidas de etiqueta respiratória, como não tossir para mão ou usar lenços de papel de utilização única.

Perguntas frequentes

O site disponibiliza uma área intitulada de "Perguntas frequentes", onde são dadas respostas às várias dúvidas levantadas:

Como se transmite?

As vias de transmissão ainda estão em investigação. Mas a transmissão de pessoa a pessoa já foi confirmada. No entanto, a DGS, a par com a OMS, desconhece mais pormenores.

Quais os sinais e sintomas?

Febre, tosse e dificuldade respiratória são alguns dos sinais e sintomas que as pessoas infetadas com o coronavírus podem apresentar. Nos casos mais graves, pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e eventual morte.

Os animais de estimação podem transmitir o Covid-19?

Não. A Organização Mundial de Saúde não tem evidências de que os animais de companhia, como cães e gatos, possam ser infetados e, como consequência, transmitir o vírus.

Qual o período de incubação?

Esta é uma área que ainda está em investigação.

Como me posso proteger?

"Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o cotovelo, nunca com as mãos; deitar sempre o lenço de papel no lixo);

Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes;

Evitar contato próximo com pessoas com infeção respiratória."

As recomendações são feitas pela Organização Mundial de Saúde.

As respostas a estas e outras questões, como a eficácia de antibióticos para tratar o coronavírus ou os riscos, vacinas e tratamentos, podem ser conhecidas aqui.

Outras áreas

O site tem também uma área com informação destinada aos profissionais de saúde com as orientações e os despachos sobre a infeção por SARS-CoV-2, doença denominada Covid-19.

O microsite disponibiliza ainda informação atualizada das áreas do mundo afetadas pela doença e da situação em Portugal, bem como os materiais de divulgação sobre a doença colocados em locais como unidades de saúde, portos e aeroportos.

Veja também:

Mapa interativo mostra em tempo real os países afetados pelo coronavírus

  • Medo, solidão e falta de afetos: como a pandemia lhes mudou a vida

    Coronavírus

    No Dia Internacional do Idoso, contamos a história de duas pessoas que têm em comum a solidão. A de Zulmira Marques, de 92 anos. Há 6 meses era alegre e passeava com as amigas quase todos os dias. Depois veio a pandemia e ficou “completamente sozinha” durante três meses. Agora não quer sair de casa. Tem vários medos. A outra é a de Maria do Céu. Morreu em junho, aos 87 anos. Os últimos dias de vida foram passados numa cama de hospital. Não pôde despedir-se das duas filhas.

    Rita Rogado