Coronavírus

"A Diamond Princess está a deixar morrer um tripulante depois de cumprir as suas funções"

"A Diamond Princess está a deixar morrer um tripulante depois de cumprir as suas funções"

O desabafo de Emmanuelle Maranhão à SIC sobre o estado de saúde do marido, Adriano Maranhão, que piorou nas últimas horas, mas continua sozinho numa cabine do navio de cruzeiro retido ao largo do japão devido ao coronavírus.

Especial Coronavírus

As autoridades japonesas já avisaram que estão sem capacidade para dar resposta a todos os casos de doença no país.

No navio de cruzeiro atracado no porto de Yokohama desde o início de fevereiro está um tripulante português, Adriano Maranhão que trabalha no navio de cruzeiro como canalizador.

A esposa Emmanuelle Maranhão denunciou esta manhã à SIC que o marido continua retido na cabine, sozinho e sem saber quando é que pode receber assistência médica. O estado de saúde piorou na última noite ficou com febre.

"Ontem quando falei com ele já o sentia a desistir", desabafa a esposa de Adriano Maranhão que, tal como o resto da tripulação só ao 3.º ou 4.º dia de quarentena é que os tripulantes começaram a usar proteções":

"No 1.º dia de quarentena nem máscara usava e continuava de serviço às cabines", explicou Emmanuelle Maranhão, em declarações à SIC.

Veja também:

MAPA INTERATIVO MOSTRA EM TEMPO REAL OS PAÍSES AFETADOS PELO CORONAVÍRUS