Coronavírus

81 mortos e mais de 2.700 infetados pelo coronavírus 

81 mortos e mais de 2.700 infetados pelo coronavírus 

China diz que nas últimas horas não houve nenhuma morte fora da região de Hubei, no centro do país.

A China já registou mais de 2.700 infetados e já ultrapassou as 80 vítimas mortais. São os números oficiais, embora vários cientistas afirmem que a propagação está a ser muito rápida e que o coronavírus pode chegar, facilmente, às 40 mil pessoas.


Para tentar travar a infeção, várias empresas estão a pedir aos funcionários que trabalhem a partir de casa, e o governo de Pequim prolongou as férias de Ano Novo até 2 de fevereiro, altura em que milhões de chineses devem regressar aos empregos.


O primeiro ministro, Li Keqiang visitou Wuhan, a cidade de origem da infeção, numa viagem vista como prova de que a China está a encarar seriamente este problema. O governante visitou os hospitais e falou com médicos e doentes. Foi anunciado um financiamento de mais de 8 mil milhões de euros para combater a pneumonia viral.


Wuhan, uma cidade com 11 milhões de habitantes, foi a primeira onde surgiu a doença e o presidente da câmara local, numa declaração inesperada, já criticou a forma como o governo da cidade está a gerir a propagação do vírus e disse que estava pronto para se demitir.


As obras do novo hospital, continuam a um ritmo nunca antes visto, com a garantia de que estará pronto na próxima semana e com capacidade para mais de mil e 300 doentes.


Para tratar todos estes pacientes, foram chamados médicos de toda a China e que, pelas imagens fornecidas pela televisão oficial chinesa, estão mais do que motivados para a missão que os espera.


Entretanto, em Hong Kong e em Macau, as autoridades locais, que gozam de alguma autonomia, decidiram proibir a entrada de pessoas que tenham estado, nas últimas duas semanas, no centro da China.

Veja também: