Eleições Autárquicas

Paulo Cafôfo demite-se da presidência do PS/Madeira

HOMEM GOUVEIA

Coligação Confiança (PS/BE/PAN/MPT/PDR) perdeu a Câmara do Funchal para PSD/CDS-PP.

O presidente do PS/Madeira, Paulo Cafôfo, demitiu-se hoje da liderança do partido, depois de a coligação Confiança (PS/BE/PAN/MPT/PDR) ter perdido a Câmara do Funchal para PSD/CDS-PP nas eleições autárquicas de domingo.

"Anuncio aqui, aos madeirenses e porto-santenses, que me demito de presidente do Partido Socialista, provocando obviamente eleições e congresso para uma nova liderança", disse.

E reforçou: "Isto significa que não serei candidato a um novo mandato nas eleições que se irão seguir e que também irei sair da Assembleia Regional e deixar o meu lugar de deputado".

Numa declaração na sede do PS, no Funchal, Paulo Cafôfo disse que o partido não atingiu o resultado que esperava e que ele próprio não alcançou os objetivos a que se propusera para as eleições autárquicas.

O PS manteve as câmaras municipais do Porto Moniz (costa norte da Madeira), Ponta do Sol (zona oeste) e Machico (zona leste), mas perdeu para o PSD/CDS-PP a do Funchal, que governava em coligação com BE, MPT, PDR e Nós, Cidadãos!.

"Há um facto que é indesmentível: o Partido Socialista não ganhou estas eleições", disse Paulo Cafôfo, sublinhando que vai "respeitar a decisão das populações", mas afirmando que a derrota teria de ter "uma consequência".

Ao anunciar a demissão de presidente do PS/Madeira, Cafôfo declarou que estava a ser coerente consigo, com o seu caráter e com a sua dignidade.

"É preciso saber sair", disse, acrescentando: "Ao contrário de outros, sei que a política é uma missão e sei que a minha missão, neste contexto e face a estes resultados, chegou ao fim".

E reforçou: "Saio com a consciência de dever cumprido, que lutei com todas as minhas forças, estive sempre de alma e coração".

Paulo Cafôfo disse ainda que o PS continua a ser a "única alternativa" na região autónoma, vincando também que, como cidadão, continuará a lutar para ter "outra Madeira".

"Esta não é a minha Madeira, como sei que não é a Madeira de muitos madeirenses e muitos porto-santenses. Por essa razão, saio de cabeça erguida, olhando, olhos nos olhos, a todas as pessoas que servi nesta missão pública, seja as pessoas que estiveram ao meu lado, sejam os meus opositores", acrescentou.

VEJA AQUI OS RESULTADOS DAS AUTÁRQUICAS 2021

ACOMPANHE AO MINUTO A NOITE ELEITORAL