Economia

"Fim ao roubo, baixem os impostos": continua a luta contra a subida dos preços dos combustíveis

Manifestação em Lisboa juntou cerca de 200 pessoas.

Em Lisboa, na tarde desta quinta-feira, duas centenas de pessoas manifestaram contra os sucessivos aumentos nos valores de venda dos combustíveis em Portugal, condenando a ação do Governo.

Foi a descer a Avenida Fontes Pereira de Melo que se ouviram várias palavras, em direto, para a SIC Notícias, contra a subida dos preços dos combustíveis.

O protesto, que começou por contar com algumas dezenas de cidadãos, acabou por juntar duas centenas de pessoas, num trajeto que começou no Saldanha, passando pelo Marquês de Pombal - onde o trânsito esteve cortado - e terminando no Rossio.

O protesto foi convocado pelo movimento cívico "Cumprir Portugal", através das redes sociais, e contou, maioritariamente, com jovens, que repetiram que "não [querem] mais estas subidas de combustíveis": "não aguentamos", repetem os presentes.

"Estou aqui porque nós, portugueses, tivemos uma altura muito complicada, com a pandemia, passámos por momentos muito difíceis, aumentou a pobreza e o desemprego, e a resposta do Governo é humilhar os portugueses com mais impostos", lança um manifestante.

Defende ainda que "não pode continuar a aumentar os preços de forma ridícula, não se vê em mais nenhum país da Europa", ao que foi complementado por palavras mais fortes de outro manifestante.

"Estou farto de pagar dinheiro para ladrões, isto é mesmo de gatunos e ladrões, as pessoas têm de vir para a rua manifestar-se! A solução é baixar os impostos dos combustíveis e as margens, o Governo tem de dar o exemplo! O Governo que faça alguma coisa que não roubar", grita.

Nesta manifestação, foi possível ver cartazes a referir, por exemplo, "fim ao roubo, baixem os impostos", num ano em que, até agora, já se deram 40 aumentos do preço dos combustíveis, representando um crescimento de 30%.

Veja também: