Economia

Protesto contra aumento dos combustíveis: petição e grupo de Facebook mostram desagrado da população

Num ano, o valor pago por litro de gasóleo e gasolina subiu 20%.

O preço dos combustíveis vai voltar a aumentar na próxima semana. Tanto a gasolina como o gasóleo vão ficar um cêntimo mais caros. Milhares de pessoas têm demonstrado desagrado com a subida dos combustíveis através das redes sociais.

O grupo de Facebook "Greve aos combustíveis" foi criado no dia em que o preço da gasolina aditivada ultrapassou, pela primeira vez, os dois euros em alguns postos do país. Em poucos tempo, são 460 mil os utilizadores que aderiram a este grupo.

Querem apelar aos portugueses que façam algo contra o aumento dos preços e propõem greve ao consumo nos dias 21, 22, 28 e 29 de outubro.

Foi também criada uma petição que exige a imediata redução dos impostos, que junta já 7.400 assinaturas.

De 2020 para 2021, um litro de gasolina 95 passou a custar, em média, mais 33 cêntimos enquanto um litro de gasóleo vale mais 35 cêntimos, o que representa um aumento de cerca de 20% num ano.

► Combustíveis voltam a subir na próxima semana

Esta foi a quarta semana em que o preço do gasóleo e da gasolina aumentou, uma tendência que vai continuar.

O aumento dos preços mexe com todo o setor económico, especialmente com o da energia.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, espera que haja um ajustamento temporário.

Numa altura em que o combustível bate recordes nos postos de abastecimento portugueses, o primeiro-ministro afasta a possibilidade de haver uma descida de impostos no próximo Orçamento do Estado.

António Costa defendeu que a taxa de carbono vai continuar a aumentar para combater as alterações climáticas.

► Veja mais: