Economia

Montepio encerra filial em Cabo Verde

Encerramento deve-se a nova lei cabo-verdiana que obriga todos os bancos a trabalharem também para clientes residentes - algo que não acontecia. Segundo previsto, a dissolução ficará concluída a 30 de novembro

O Montepio vai dissolver e liquidar a sua filial em Cabo Verde que se dedicava apenas a clientes não residentes, segundo comunicado esta segunda-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Fecho deve-se a nova lei cabo-verdiana que obriga todos os bancos a trabalharem também para clientes residentes.

A lei, de 2020, "estabeleceu um regime transitório para aquelas instituições
promoverem as alterações estatutárias e de organização internas até ao final do corrente ano [2021], caso pretendam passar a operar como instituições de crédito de autorização genérica", explica o banco no comunicado.

Este é um dos motivos que levaram o Montepio a decidir fechar esta filial. Os outros motivos prendem-se com "a alteração das circunstâncias e os desafios colocados ao banco, ao setor bancário e à economia portuguesa", que levaram o banco a adotar um "plano estratégico", no qual a continuidade da filial cabo-verdiana não se encaixava.

Posto isto, a operação de encerramento deverá estar concluída a 30 de novembro. Contudo, o Montepio "tem em curso a promoção de formas alternativas de cooperação com as Instituições apropriadas da República de Cabo Verde, com vista a manter e reforçar a sua contribuição para o desenvolvimento sustentado do país".