Economia

Governo espanhol aprova plano de choque na carga fiscal para impedir subida de preço da eletricidade

Em Portugal, o ministro do Ambiente diz que ainda é cedo para anunciar medidas, mas está confiante num aumento no próximo ano.

Com a eletricidade a sair historicamente mais cara aos distribuidores ibéricos, o Governo Espanhol aprovou esta terça-feira um plano de choque na carga fiscal para tentar impedir que a escalada do preço se traduza em aumentos na fatura para o consumidor.

O valor é histórico: 172,78€ por megawatt hora.

Para se perceber quão alto vão pagar os distribuidores esta quarta-feira para adquirirem a eletricidade produzida em Portugal e Espanha, o novo preço confronta com os cerca de 40,00€ do início do ano.

A escalada no mercado grossista ibérico tem-se acentuado,

Do lado espanhol, onde os preços são atualizados a cada mês e não anualmente como em Portugal, tenta-se travar a transposição desses aumentos para as faturas de famílias e empresas.

Foi anunciado um plano de choque, que passa por baixar o imposto especial sobre a eletricidade dos atuais 5,11% para 0,5%.

Os produtores vão continuar isentos de imposto e o IVA será reduzido de 21% para 10% para pequenos consumidores.

O caso português

Em Portugal, o aumento dos preços no mercado grossista já tinha elevado a tarifa, em julho, em 5,00€ por Megawatt hora.

Este valor só deverá ser revisto no final do ano.

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, conta com o aumento de receitas do fundo ambiental.

As licenças de carbono renderam 270 milhões de euros, mais 120 milhões do que o previsto,

Aumento do custo do gás natural e das licenças de emissão de dióxido de carbono

A escalada do preço grossista está a ser associada ao aumento do custo do gás natural e aos valores recorde das licenças de emissão de dióxido de carbono.

As fontes renováveis ainda não são suficientes para garantir total abastecimento.

Veja também: