Economia

Insolvências em Portugal aumentaram 11,8% nos primeiros oito meses do ano

Em agosto houve um total de 167 insolvências e no acumulado do ano o número passa dos 3 mil, tendo metade sido registado no primeiro trimestre. Entre janeiro e agosto foram já registadas mais de 27 mil novas empresas

Entre janeiro e agosto de 2021 foram registadas 3.290 insolvências em Portugal, mais 11,3% que no mesmo período do ano passado, refere a Iberinform, filial da Crédito y Caución, em comunicado.

Do total de insolvências apontadas pela Iberinform, praticamente metade (mais de 1.500) foram registadas nos primeiros três meses do ano.

Especificamente em agosto foram registadas um total 167 insolvências, mais 10,6% que em agosto de 2020.

A nível distrital, é o Porto que tem o maior número de insolvências (821), seguindo-se de Lisboa (768), mas na capital o aumento percentual foi maior (25,9% face aos 12,5% da "Invicta").

"Em termos percentuais, os maiores aumentos registaram-se nos distritos de Vila Real, que evoluiu de 16 para 32 insolvências (100%), Guarda, que passou de 19 em 2020 para 28 em 2021 (47,4%), e Castelo Branco, que subiu de 42 insolvências no ano passado para um total de 60 no final de agosto de 2021 (42,9%). Em destaque, ainda, o distrito de Coimbra, com um crescimento de 42,9%, que traduz um aumento de 42 insolvências em 2020 para 102 no final de agosto deste ano", indica a Iberinform.

Em sentido contrário, Vila Real, Bragança, Beja, Faro, Évora e Santarém tiveram menos insolvências que no ano passado.

Por setor, foi a indústria extrativa que teve o maior crescimento homólogo nas insolvências, evoluindo de oito para 166 (1975%). Destaque também para a hotelaria e restauração, com 365 insolvências (mais 59,7%). Por outro lado, os setores de transportes e indústria transformadora, registaram decréscimos face a 2020.

Há mais de 27 mil novas empresas

Em agosto o número de novas empresas diminuiu face ao mês homólogo, pois apenas foram constituídas 2.546 novas empresas (menos 13,6%). Porém, no acumulado dos oito meses do ano, "regista-se um aumento de 10,9% face a 2020, com mais 2.671 novas empresas para um total absoluto de 27.128 constituições".

Segundo a Iberinform, "o distrito de Lisboa regista o número mais significativo de constituições, com 8.353 novas empresas (9,5%), ao qual se seguem os distritos do Porto, com 4.892 novas empresas (11,5%), Braga, com 2.151 (11,2%), e Setúbal, com 1.985 (16,1%)".

Quanto aos setores, os maiores aumentos deram-se no comércio a retalho (27,7%), seguido pela indústria extrativa (22,2%) e pela agricultura, caça e pesca (17,9%).