Economia

Transporte de mercadorias recupera e ultrapassa níveis pré-covid

O transporte de mercadorias aumentou em todos os modos de transporte e até ultrapassou os níveis de 2019 (pré-pandemia), exceto por via aérea. Já o transporte de passageiros, apesar da recuperação face a 2020, continua aquém do período pré-covid

No segundo trimestre do ano todos os modos de transporte de mercadorias cresceram face ao ano passado e quase todos ultrapassaram também os níveis do segundo trimestre de 2019, antes da pandemia de Covid-19. A exceção foi o transporte de mercadorias por via aérea, indicam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta quarta-feira.

Quando comparado com o segundo trimestre de 2020, o transporte de mercadorias por via aérea teve o crescimento mais significativo (108,3%), mas ainda assim ficou 11,2% abaixo do mesmo período de 2019.

Os restantes tiveram todos níveis superiores a 2019. Por ferrovia registaram-se aumentos de 24% face ao período homólogo de 2020 e de 6,4% face ao período antes da Covid-19, por via marítima houve um acréscimo de 29,7% face a 2020 e de 0,4% face a 2019 e, por fim, por rodovia houve um aumento de 39,3% face ao ano passado e de 3,1% face a 2019.

Transporte de passageiros recupera, mas fica aquém do período pré-Covid

Por outro lado, o transporte de passageiros, apesar da recuperação, continua muito abaixo do segundo trimestre de 2019.

Numa altura ainda marcada pela pandemia de Covid-19 - ainda que com o processo de vacinação em andamento - todos os meios de transporte de passageiros sentiram uma recuperação. Nomeadamente no transporte aéreo, onde claramente houve um aumento, pois no segundo trimestre de 2020 as viagens estavam proibidas por todo o mundo. Apesar da recuperação, o movimento de quatro milhões de passageiros foi ainda 76% inferior ao mesmo período em 2019.

"Por comboio e por metropolitano foram transportados 18,9 e 20,3 milhões de passageiros, respetivamente", indica o gabinete de estatística. Isto significa um aumento de mais de 100% - o que espelha o efeito-base, uma vez que os portugueses estavam confinados - mas face ao período pré-pandemia ainda representam reduções de 34,6% e 53,3%, respetivamente.

Por fim, o transporte de passageiros por via fluvial registou um aumento de 97,1% comparativamente com o segundo trimestre de 2020 - refletindo também o efeito-base - atingindo três milhões de passageiros. Ainda assim, fica 45,5% abaixo do mesmo período de 2019.