Desporto

Neno era "um exemplo para todos de como se deve estar no futebol", diz Pedro Proença

Antigo internacional português morreu aos 59 anos, vítima de doença súbita.

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, lamentou a morte de Neno, referindo que era um exemplo de "como se deve estar no futebol e na vida".

"Esta é uma daquelas notícias que não queremos, nem nunca estaremos preparados para receber. O Neno era um homem bom, íntegro, afável, solidário e com um enorme talento. Um exemplo para todos de como se deve estar no futebol e na vida", referiu Pedro Proença, numa mensagem nas redes sociais.

Proença explicou que Neno era um embaixador da LPFP, por ser uma pessoa cujas qualidades e características "transportavam para os melhores valores".

"Mas mais do que um embaixador, ou glória do futebol português, o Neno era, será sempre, um bom amigo. É com muita tristeza que escrevo estas palavras, e farei questão que a sua memória e o seu bom exemplo perdurem no tempo", frisou.

O presidente da Liga de clubes endereçou as suas condolências à família e amigos, referindo que o mundo "fica mais pobre".

O percurso de Neno, entre as balizas do Benfica e do Vitória de Guimarães

Morreu o antigo guarda-redes Neno, aos 59 anos. Foi vítima de doença súbita.

Era conhecido como o Júlio Iglesias das balizas. Chegou até a editar um disco.

Dentro de campo, a música era outra. Neno começou a carreira de guarda-redes no Barreirense. Com apenas 21 anos, assinava pelo Benfica. Daí até ao final da carreira, em 99, o percurso fez-se entre o clube da Luz e o Vitória de Guimarães, onde era agora diretor de Relações Internacionais.

Pelo Benfica, conquistou sete títulos, foi campeão três vezes, em 86/87, 90/91 e 93/94. Ganhou três taças e ainda a Super Taça de 1985.

Em 88, voltou a conquistar a Super Taça, mas pelo Vitória de Guimarães.

Adelino Augusto da Graça Barbosa Barros, nascido na Praia, em Cabo Verde, serviu ainda a seleção nacional. Fez nove encontros entre 1989 e 96.

Pelo Vitória de Guimarães, é recordado como uma pessoa "carismática, afável e sempre disponível", que "tinha para todos um gesto amigo e um sorriso verdadeiro". O Benfica relembra o percurso do jogador no clube e diz que "a memória de Neno estará sempre entre nós".

O amigo Paulo Futre diz ter perdido "a melhor pessoa que conheceu no mundo de futebol". Nuno Gomes, antigo avançado do Benfica, diz-se "sem palavras".

Neno, de voz doce e sorriso fácil, faleceu vítima de doença súbita. Tinha 59 anos.