Cultura

Processo judicial de Scarlett Johansson contra a Disney pode agitar mercado dos streamings

A atriz afirma que houve uma quebra de contrato, uma vez que o seu salário estava parcialmente associado às receitas de bilheteira.

A atriz Scarlett Johansson avançou com um processo judicial contra a Disney por alegada quebra de contrato. Em causa está a decisão do estúdio ter estreado o filme “Viúva Negra” em simultâneo nos cinemas e na plataforma de streaming. A protagonista da história afirma que a decisão prejudicou as receitas de bilheteira.

“Viúva Negra” é o primeiro filme em que a super-heroína da Marvel surge como protagonista. A história - que se situa na linha temporal entre os filmes "Capitão América - Guerra Civil" e "Vingadores - Guerra do Infinito" - desvenda novos elementos sobre o passado sombrio de Natasha Romanoff. Depois de nove filmes a dar vida à Vingadora, Scarlett Johansson já tinha anunciado que este seria o último filme em que iria participar.

Mas a despedida ficou marcada por um processo judicial interposto por Johansson num tribunal de Los Angeles contra a Disney. O estúdio estreou o filme em julho, em simultâneo nos cinemas e na plataforma de streaming o que, para a atriz, representa uma quebra de contrato. Afirma que o que estava contratualizado era que o filme “Viúva Negra” chegaria às salas de cinema e que o salário da atriz estava dependente, em parte, das receitas da bilheteira.

Se no primeiro fim de semana “Viúva Negra” teve a melhor estreia no contexto da pandemia – com mais de 67 milhões de euros nos Estados Unidos e 65,5 milhões no resto do mundo – as receitas diminuíram bastante no segundo fim de semana. Esta descida pode justificar-se pelo filme estar acessível num ecrã a partir de casa.

A Disney já respondeu através de um comunicado: considera o processo judicial triste e sem respeito pelos efeitos globais da pandemia. Insiste que cumpriu o contrato e que o lançamento do filme no acesso premium da plataforma aumenta a possibilidade de uma compensação adicional a juntar aos quase 17 milhões de euros que a atriz recebeu pelo filme.

Devido à pandemia de covid-19, a estratégia da Disney tem passado por estrear alguns filmes em simultâneo nas salas de cinema e na plataforma de streaming. O exemplo mais recente é "Jungle Cruise – A Maldição nos Confins da Selva", que estreou esta sexta-feira nos cinemas norte-americanos e em streaming.

Com a tendência crescente das empresas em apostar nos serviços de streaming, a decisão da atriz mais bem paga do mundo em 2018 e 2019, segundo a revista Forbes, avançar para os tribunais pode agitar o mercado.

Veja mais: