Cultura

Lucky Luke contra a segregação racial

Edgar Ascensão

Edgar Ascensão

Repórter de Imagem

Jorge Oliveira

Jorge Oliveira

Repórter de imagem

Rui Rocha

Rui Rocha

Editor de Imagem

O cowboy mais rápido que a própria sombra está de volta com uma nova aventura. Lucky Luke é "Um Cowboy no Negócio do Algodão" na primeira banda desenhada do herói do oeste a abordar o tema da escravatura.

São imagens que cativam milhões de fãs de banda desenhada desde 1946. O cowboy que dispara mais rápido do que a própria sombra, sempre acompanhado pelo fiel companheiro Jolly Jumper, habituou-se às peripécias dos irmãos Dalton e do Oeste. Mas nunca tinha enfrentado um dos maiores fantasmas da época nos Estados Unidos da América: a escravatura.

Até aqui, os afro-americanos retratados nos álbuns de banda-desenhada de Lucky Luke apareciam de forma esporádica e sem diálogos. Em "Um cowboy no negócio do algodão" o protagonista do imaginário criado por Morris conta com a ajuda de Bass Reeves, uma personagem com o nome real do primeiro Marshal adjunto negro, nomeado a oeste do estado do Mississípi. Nasceu como escravo mas ganhou a liberdade na guerra civil americana. Ao longo da carreira prendeu mais de 3 mil foras da lei.


O companheiro da nova aventura de Lucky Luke ajuda o protagonista a combater latifundiários esclavagistas do algodão, num novo livro já disponível em português nas livrarias nacionais.