Cultura

Autor de BD disponibiliza tiras para serem pintadas em casa

Graça Costa Pereira

Graça Costa Pereira

Editora de Cultura SIC

Riad Sattouf é um autor de banda desenhada francês. É dele a coleção "O Árabe do Futuro", editada em Portugal pela Leya. Neste tempo de isolamento social convida as pessoas a darem cor a umas quantas tiras que criou. O resultado será publicado no instagram do artista.

Na impossibilidade de se manter a habitual tiragem e venda de tiras da BD de Riad Sattouf, o autor disponibilizou, nas redes sociais, seis páginas da banda desenhada de que é autor. "O Árabe do Futuro" é um dos personagens que pode ser colorido e reinventado por quem está em casa, em isolamento social.

No site oficial do autor francês, que no ano passado fez nascer a editora independente "Les Impressions du Futur", os internautas são convidados a imprimir as tiras, a pintá-las e a criar histórias com as imagens disponibilizadas. O resultado deverá ser enviado para o Instagram do autor francês de 41 anos.

Facebook Riad Sattouf

"O Árabe do Futuro" é filho de pai sírio e de mãe francesa. Nos livros de banda desenhada de Riad Sattouf contam-se a infância e a juventude deste rapaz, em pleno Médio Oriente.

Publicado em Portugal pelo Grupo Leya (através da Teorema), o primeiro volume desta BD surgiu entre nós em 2015. Relata a vida da personagem Riad no período de 1978 a 1984. Nesses poucos anos viveu entre a Líbia, a França e a Síria.

Em 2016 surgiu o 2º volume. Cingiu-se aos anos de 1984 e 1985 e à história do primeiro ano de escola de Riad, na Síria. Nesse período aprendeu a ler e a escrever em árabe e, refere a sinopse, descobriu "a família do pai" esforçando-se "por se tornar um verdadeiro sírio."

Um ano depois, em 2017, o 3º volume remete o leitor para os anos de 1985 a 1987. "A mãe de Riad, depois de ter estado sempre ao lado do marido convivendo com os usos e costumes árabes, não consegue mais suportar o quotidiano da aldeia de Ter Maaleh e decide regressar a França, seu país natal. O pequeno Riad vê então o seu pai esmagado entre as aspirações da mulher e o peso das tradições familiares, tudo isto em plena Síria de Hafez Al-Assad."

No quarto volume a história passa-se entre 1987 e 1992. Riad já tem 9 anos e segue caminho até à adolescência. Nessa idade complexa debate-se entre as culturas árabe e francesa, com as quais conviveu e cresceu.

O próximo volume deverá sair ainda este ano, se o novo coronavírus não complicar (ainda mais) o setor literário mundial.

Homenagem de Riad Sattouf a Albert Uderzo, no Instagram do autor francês de 41 anos

Homenagem de Riad Sattouf a Albert Uderzo, no Instagram do autor francês de 41 anos

Instagram Riad Sattouf

Nascido em Paris, em 1978, Riad Sattouf é cineasta, para além de autor de banda desenhada. Passou a infância entre a Argélia, a Líbia e a Síria e foi nesses países que recebeu uma educação muçulmana. Tinha 12 anos quando regressou a França e, na juventude, decidiu formar-se em Belas-Artes. Entre 2004 e 2014 publicou, na revista Charlie Hebdo, "La vie secrète des jeunes".

Sattouf já ganhou o prémio René Goscinny e o prémio do júri do Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême.