Cultura

Olafur Eliasson leva "In Real Life" a Bilbau

Olafur Eliasson leva "In Real Life" a Bilbau

Iryna Shev

Iryna Shev

Jornalista

Edgar Ascensão

Edgar Ascensão

Repórter de Imagem

Ana Rita Sena

Editora de Imagem

A SIC esteve no Museu Guggenheim onde estão algumas das obras do artista dinamarquês pretendem desafiar a perceção do visitante

As obras de Olafur Eliasson percorrem a pintura, a escultura, a fotografia ou as projeções de luzes, e desafiam a perceção da realidade dos espetadores que passam por elas.

O dinamarquês de origem islandesa acredita que a arte tem um propósito e antes de fazer qualquer obra, pergunta sempre o porquê de a fazer. Tomemos, por exemplo, a instalação que fez nas ruas de Copenhaga, Paris ou Londres, em que colocou blocos de gelo que se partiram da Gronelândia para chamar a atenção para as alterações climáticas. Chamou a este trabalho "Ice Watch".

Na exposição que tem no Museu Guggenheim, em Bilbau, Eliasson tem uma escultura relacionada com este projeto. Trata-se de uma fundição de bronze que torna visível o espaço noutros tempos ocupado por um bloco de gelo de glaciar que derreteu.

"In Real Life" tem cerca de 30 outras obras que percorrem o percurso do artista que começou a dar que falar nos anos 1990. Uma das suas primeiras obras chama-se "Beauty", é de 1993, e é uma espécie de fina cortina de neblina que recebe um raio de luz procedente de um projetor. Isto resulta num arco-íris que é sempre diferente para cada par de olhos. Esta perceção única e íntima da realidade de cada indivíduo é outra das características indissociáveis do artista de 53 anos.

A SIC esteve no museu espanhol antes da inauguração da exposição em Bilbau.

Veja a reportagem em cima.