Rui Correia

Rui Correia

Rui Correia é professor de História, conferencista e autor de numerosos estudos de história, património e educação. Foi gestor educativo, external expert em educação para a Comissão Europeia, vereador da Câmara Municipal das Caldas da Rainha e vencedor do Global Teacher Prize Portugal 2019.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Rui Correia

  • Como se apaga um professor

    País

    Chega a ser perturbador ver quantos, dentro de uma sala de professores, dizem já não aguentar a profissão que escolheram. A profissão que um dia os iluminou. E que ainda os apaixona. Se, por um lado, sonham com a alforria flagelante de uma aposentação, por outro não trocariam a sua profissão de décadas por nenhuma outra.

    Rui Correia

  • A escola como uma gigantesca perda de tempo

    País

    Pode ser Eva. Fez um teste de Geografia e foi a única da turma a ter negativa. Dos seus olhos formosos e inexpressivos, num rosto negro como o touro do Herberto Helder, ruíram-lhe duas lágrimas. Mas daquelas que represam tanta água - tanta mágoa - que deixam cicatrizes aquosas. 43%.

    Rui Correia

  • Os IT guys da educação

    País

    As escolas não podem fechar. É tão simples como isto. E não é apenas porque, se elas fecharem, lá teremos nós de aturar os miúdos em casa, a marinar num tédio digital que os embrutece a eles e nos culpabiliza a nós. As escolas não podem fechar porque o acto de aprender não pode depender de uma epidemia ou de uma catástrofe qualquer. A escola tem de saber responder digitalmente a estas intempéries.

    Rui Correia

  • Professores na mesa das crianças

    País

    Ser professor não é ser sindicalista ou afiliado ministerial. Teima-se em dar voz a quem não pisa uma sala de aula há décadas para falar de salas de aula. Insiste-se em dar aos professores a mesma atenção que se dá às crianças. Que é mais ou menos aquele zelo de garantir que não saem da mesa dos miúdos.

    Rui Correia